Cresce número de pessoas que apoiam a descriminalização da maconha no Brasil

Proporção de pessoas favoráveis chegou a 32%, maior patamar desde 1995. Maioria ainda defende que uso da droga seja crime

Foto: Renan Accioly/Jornal Opção

Pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta sexta-feira (29/12) mostra que o número de brasileiros que apoia a descriminalização da maconha tem aumentado nos últimos anos.
Série de levantamentos que avalia a opinião dos brasileiros sobre o tema registra que em 1995, 17% apoiavam a descriminalização. Em 2012, o número chegou a 20% e agora em 2017, a proporção chegou a 32%.

Apesar do crescimento, a grande maioria, 66%, ainda defende que uso da maconha seja crime.
Segundo a pesquisa, 80% dos entrevistados dizem que nunca fumaram maconha, 14% afirmam já ter usado a droga uma vez, mas pararam, e só 5% admitem ter o hábito de fumar maconha.

Entre os homens, o índice de pessoas que afirmam que já fumaram é maior (27%) que entre as mulheres (12%). Além de usarem mais a droga, os homens também são mais favoráveis a descriminalização, 35%, contra 28% das mulheres.

A região Nordeste é a com maior número de pessoas contra a descriminalização, com 74%. A Sul, é a que apresenta maior aceitação, com 37% a favor da descriminalização e 59% contra. No Centro Oeste, 69% são contrários e 30% a favor.

A diferença de opinião também é grande entre as faixas etárias. Entre jovens de 16 a 24 anos, a proporção de pessoas a favor da descriminalização chega a 40%. Este número cai para 24% entre as pessoas com 60 anos ou mais.

A pesquisa Datafolha foi realizada com 2.765 pessoas em 192 municípios, entre os dias 29 e 30 de novembro. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Cttulino Agiuiar Cunha

Faltosos com a obrigação mental! Pessoas de sub-imaginação! KKKKKKKKKK! País de cultura chula, dá nisto!