Cremego vai investigar médico goiano acusado de misoginia em hospital

Conselho Regional de Medicina enviou ao Jornal Opção nota em que informa que vai apurar conduta do profissional que atuava na Maternidade Nascer Cidadão

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) encaminhou nesta quarta-feira (12/4) nota em que informa que irá apurar a denúncia publicada pelo Jornal Opção na terça-feira (11) envolvendo um médico goiano que já atuou na Maternidade Nascer Cidadão, na capital.

A acusação partiu de internautas, que alegam que o profissional formado pela Universidade Federal de Goiás (UFG) teria demonstrado má conduta ao publicar conteúdo misógino e depreciativo às mulheres na internet.

Em prints extraídos de suas redes sociais, o médico chama a ala de ginecologia da unidade de “bucetário” e apelida o órgão genital feminino com nomes pejorativos. Na lista de fotos compartilhadas, há ainda um “poema” de cunho sexual e degradante.

Um dos representantes do conselho que representa os servidores da Nascer Cidadão adiantou ao Jornal Opção que não conhece o médico que foi alvo das denúncias. Ao que tudo indica, ele atuava na maternidade no ano de 2013 como interno.

O médico identificado nas publicações apagou suas redes sociais depois que o caso ganhou repercussão e não foi encontrado para comentar o assunto.

Agora, o Cremego informa, via nota, que vai apurar a veracidade “das publicações e da conduta atribuídas ao médico, que teriam ocorrido quando ele ainda era acadêmico, e adotar as medidas cabíveis caso seja constatado o desrespeito à ética profissional, aos pacientes e às boas práticas médicas”.

Confira abaixo a íntegra do comunicado enviado pelo Conseho Regional de Medicina do Estado de Goiás à reportagem:

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) tomou conhecimento das denúncias envolvendo um médico da Maternidade Nascer Cidadão por meio de matéria publicada pelo Jornal Opção. O Cremego vai apurar a veracidade das publicações e da conduta atribuídas ao médico, que teriam ocorrido quando ele ainda era acadêmico, e adotar as medidas cabíveis caso seja constatado o desrespeito à ética profissional, aos pacientes e às boas práticas médicas. O Cremego ressalta que zela pela ética médica e rechaça qualquer forma de desrespeito entre médicos, pacientes e demais profissionais de saúde.

Cremego

Deixe um comentário