Crea emite alerta sobre ponte da T-63 e diz que 78% dos viadutos da capital precisam de intervenção

“Depois que cair não quero que me chamem para dar entrevistas, quero falar antes e evitar que caia ponte, bueiro”, disse o presidente do Conselho

Foto: Felipe Cardoso |Jornal Opção

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-GO) apresentou relatório de vistoria das Obras de Arte Especiais (OAE’S) de Goiânia, feito em parceria com a Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO) e Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia do estado de Goiás (IBAPE-GO). O estudo foi feito com o intuito de garantir a segurança da população goianiense, recolhendo dados para a elaboração de um plano de vistorias e inspeções periódicas de pontes e viadutos, além de estabelecer critérios de priorização para intervenções corretivas.

“O principal problema é a falta de controle do sistema de drenagem, precisamos de um sistema de drenagem que funcione. Para isso, são necessários elementos baratos e fáceis. Em nossa conclusão apresentamos que as primeiras intervenções necessárias são de custo baixo e devem ser feitas em curto prazo e de maneira generalizada”, afirmou o diretor da Escola de Engenharia da Puc Goiás, Fábio Simões, ao ressaltar que quase 80% das pontes no município apresentam esse tipo de problema.

Foto: Felipe Cardoso |Jornal Opção

No primeiro lugar do ranking de OAE’S de acordo com Grau de Deterioração (Gd) está a ponte da Avenida T-63, sobre o Córrego Cascavel, seguida pela ponte da Avenida das Pirâmides e ponte da Avenida Acary Passos. Esses pontos possuem maior prioridade de intervenção.

Sobre a ponte da T-63, Fábio Simões alerta que a sua deterioração tem sido rápida. “A cada período chuvoso esse quadro pode se agravar ainda mais, e obviamente queremos evitar que essa situação chegue ao ponto de um colapso na capital”, explicou ao destacar que os gestores precisam tomar esse cuidado com as OAE’S como prioridade.

Imagem mostra fissura que se propaga pela ponte Acary Passos (córrego Água Branca) / Foto: Crea-GO

“Esse é um estudo técnico que foi desenvolvido ao longo dos anos e será disponibilizado para o prefeito Iris Rezende, Seinfra, governo estadual e concessionária, para que, em conjunto, possamos achar soluções para a correção de erros e prevenir acidentes”, afirma o presidente do Crea Goiás, Francisco Almeida, que frisou a importância de estudos preventivos. “Depois que cair não quero que me chamem para dar entrevistas, quero falar antes e evitar que caia ponte, bueiro”, disse.

Foto: Felipe Cardoso |Jornal Opção

Resultados

Após a realização de vistorias em 68 OAE’S no município de Goiânia, com base nos requisitos da norma ABNT NBR 9452:2016, foi identificada um total de 230 ocorrências de manifestações patológicas, sendo constatadas manchas de umidade em 53 OAE’S; 48 OAE’S apresentam lixiviações no concreto; 42 OAE’S apresentam corrosão de armadura e 39 OAE’S têm elementos funcionais danificados. A segregação de concreto está presente em 24 OAE’S, já s fissuras e encontros danificados estão presentes em 24% e 12% das OAE’S respectivamente.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.