CPMI da Fake News inicia oitivas na próxima quarta e relatora diz ataques já começaram 

Primeiro a depor será o federal Alexandre Frota. CPI também ouvirá os famosos Caetano Veloso, Bruno Galiasso e Felipe Neto 

Foto: Pedro França/Agência Senado

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) da Fake News foi criada para investigar ataques cibernéticos, bem como a criação e uso de perfis falsos nas redes sociais para influenciar as eleições do ano passado.

O primeiro depoimento será colhido na próxima quarta-feira, 29. O depoente será o federal Alexandre Frota (PSDB-SP). No entanto, antes mesmo do início das oitivas, a CPI tem causado desconforto.

Conforme mostrado pela UOL Notícias, a deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA) revelou que já tem se preparado para ataques. Ela, que é relatora da Comissão, disse que, na verdade, eles já começaram. Segundo a parlamentar, o deputado Carlos Bolsonaro (PSL-RJ) saiu na frente.

“Ele usou um post para me atacar por eu ser relatora da CPI, me chamou de petista e disse que eu deveria me ‘autoinvestigar’”, declarou a deputada em entrevista à Universa.

Em seguida, ela disparou: “Só houve fake news do lado do Bolsonaro nas eleições de 2018? É possível que não. Pode ser que tenha havido nas principais candidaturas”. Por fim, Lídice garantiu que o colegiado irá identificar práticas de um dos fenômenos mais deletérios da sociedade, que fere uma regra básica da democracia: o direito à livre escolha”.

Além de diversos integrantes do meio político, a CPI também ouvirá famosos. Dentre eles o cantor Caetano Veloso, o casal de atores, Bruno Galiasso e Giovanna Ewbank; e o youtuber Felipe Neto.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.