CPI ouve diretor de farmacêutica anapolina que vendeu 1.105% a mais de Ivermectina

O preço médio da caixa com 500 comprimidos subiu de R$ 73,87 para R$ 240,90 , um incremento de 226%

Nesta quarta-feira, 11, a partir das 9 horas, o diretor-executivo da farmacêutica Vitamedic, Jailton Batista presta depoimento à CPI da Covid. O empresário deve falar sobre as vendas do “kit covid”, um conjunto de medicamentos sem eficácia comprovada contra o coronavírus.

A Vitamedic – que faz parte do grupo José Alves, com várias empresas em Goiás  – foi alvo de um requerimento de informações aprovado em junho pela comissão.

De acordo com relatórios enviados à CPI, apenas as vendas da Ivermectina saltaram de 24,6 milhões de comprimidos em 2019 para 297,5 milhões em 2020, um crescimento superior a 1.105%. O preço médio da caixa com 500 comprimidos subiu de R$ 73,87 para R$ 240,90, um incremento de 226%.

O requerimento original previa a presença de outro representante da Vitamedic, o empresário José Alves Filho. A convocação dele foi sugerida pelo relator da comissão, senador Renan Calheiros (MDB-AL). José Alves Filho já teve os sigilos telefônico, telemático, fiscal e bancário quebrados pela CPI.

Em ofício enviado à comissão, o empresário argumenta que, como acionista da Vitamedic, poderia responder apenas sobre “investimentos fabris e novas aquisições”. Ele sugere que a CPI tome o depoimento de Jailton Batista, a quem caberia “a administração das rotinas diárias” da empresa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.