CPI das Universidades ganha novo presidente e novas denúncias

Vestibular fictício e confecção de diplomas falsos serão investigados pelos deputados da Assembleia Legislativa

CPI das Universidades ganha novo presidente e novas denúncias
Deputado estadual Coronel Adailton (PP) é o novo presidente da CPI das Universidades | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Universidades foi criada para investigar possíveis irregularidades no funcionamento de faculdades particulares situadas em Goiânia e outros municípios do Estado. Após ser reativada na Assembleia Legislativa (Alego), na segunda-feira, 15, o deputado Coronel Adailton (PP) foi nomeado como novo presidente.

Adailton conversou com o Jornal Opção e adiantou que já haviam algumas investigações em andamento, entretanto, novas denúncias continuam chegando.

“Várias pessoas já foram ouvidas. Chegaram outras denúncias e continuaremos buscando a verdade dos fatos. Precisamos separar o joio do trigo. Há muitas instituições de ensino superior que trabalham com seriedade, mas, por outro lado, há também aquelas que atuam de maneira equivocada, vendendo diplomas e praticando outras atividades contrárias à boa educação”, ressaltou o parlamentar.

O parlamentar garantiu que todos os fatos levantados e devidamente comprovados serão levados a público “para que elas sejam alijadas do processo de ensino e aprendizado de Goiás”.

Casos

Uma das denúncias que chegou à comissão e que será investigada nas próximas semanas refere-se à aplicação de provas fictícias para vestibulandos de uma universidade em Porangatu. Há indícios de que a instituição tenha aplicado testes para simular a concorrência entre os candidatos, simplesmente para arrecadar valores de inscrição e mensalidade dos alunos que eram aprovados em sua totalidade.

Outro caso que será investigado pela CPI das Universidades irá averiguar a possível apresentação de diploma falso à Alego. Acontece que, neste ano, com a troca de diversos cargos comissionados da estrutura administrativa da Assembleia, muitos foram nomeados para ocuparem novos cargos. Um deles, que ocuparia uma diretoria na Casa — porém acabou não sendo empossado — teria apresentado um diploma falso ao Legislativo. O caso também será investigado pela Comissão.

Diversas denúncias estão sendo apuradas desde abril do ano passado pela CPI. A nova composição resultou no apontamento do deputado Charles Bento (PRTB) para a vice-presidência. O deputado Talles Barreto (PSDB), no entanto, permanece na relatoria. O próximo encontro ocorrerá na segunda-feira, 22, onde duas pessoas serão ouvidas.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.