Covid-19 e o cérebro: vírus causa danos mesmo em infecções leves

Estudos revelam como o coronavírus está atrelado com prejuízos à memória, além de gerar encolhimento do cérebro

Covid também danifica os tecidos e causa o encolhimento do cérebro \ Foto: Reprodução

A pandemia de Covid-19, que ainda arrefeceu, mas ainda resiste, mudou a dinâmica do mundo. A doença é nova e os sintomas e consequências são atualizados a todo momento. Entre elas, está a dificuldade de memorização, sendo um dos diagnósticos mais presentes apresentados por pacientes do coronavírus. Desta forma, um estudo revela que as células da glia são muito importantes para o sistema nervoso, sendo responsáveis por diversas funções do dia a dia. Os astrócitos, que fazem parte desta célula, são profundamente afetados pelas proteínas da Covid-19. O reflexo disso é um dano na memória da pessoa após a contaminação pela doença, explicou o PhD em neurociência, Fabiano de Abreu Agrela.

Junto ao estudo do doutor e mestre em Psicologia da Saúde, uma pesquisa registrou a sinalização dentro de astrócitos individuais em um nível de detalhe e velocidade nunca visto antes nos cérebros de camundongos acordados. Com isso, os pesquisadores da Universidade de Pós-Graduação do Instituto de Ciência e Tecnologia de Okinawa (OIST), provaram que os sinais ultra rápidos semelhantes aos observados em neurônios e padrões de atividade de sinalização correspondem a diferentes comportamentos. O que sugere o papel crucial dos astrócitos em muitas funções do nosso cérebro, incluindo como pensamos, nos movemos e aprendemos.

“Este estudo revelou que os astrócitos geram sinais in vivo tão rápidos quanto os dos neurônios, com duração inferior a 300 milissegundos. Foi usado um vetor viral adeno-associado que continha um gene que faz as células infectadas florescerem no aumento da presença de cálcio, indicador da atividade do sinal. Foram percebidas áreas nos astrócitos, hotspots, com níveis de atividades mais altas. Esses hotspots sugerem a representação de engramas de memória, que é um padrão para a memorização”, explica Fabiano de Abreu.

Cérebro encolhido

A Covid-19, além da perda de memória, também danifica os tecidos e causa o encolhimento do cérebro. Redução da massa cinzenta nas regiões que controlam a emoção e danifica áreas que controlam o olfato, também foram apontados por um estudo da Universidade de Oxford. Divulgada no início deste mês, pesquisadores disseram que os efeitos foram vistos até em pessoas que não foram hospitalizadas com Covid. 

Em contrapartida, é necessário mais investigações para descobrir se o impacto pode ser parcialmente revertido ou se persiste a longo prazo. Mesmo em casos leves, os participantes da pesquisa mostraram uma piora da função executiva, responsável pelo foco e organização. Em média, o tamanho do cérebro encolheu entre 0,2% e 2%. 

A pesquisa foi realizada com 785 participantes, com idade entre 51 e 81 anos, incluindo 401 pessoas que pegaram Covid entre os dois exames. Com cérebros examinados duas vezes, o segundo exame foi realizado 141 dias após o primeiro. Além disso, o estudo foi revisado por pares e publicado na revista Nature.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.