Corpo do dramaturgo Chico de Assis é sepultado em São Paulo

O paulistano, que faleceu aos 81 anos em decorrência de um infarto no último sábado (3/1), foi um dos fundadores do Seminário de Dramaturgia do Teatro de Arena

(Foto: reprodução)

(Foto: reprodução)

O dramaturgo Francisco de Assis Pereira, mais conhecido como Chico de Assis, está sendo velado desde às 3 horas deste domingo (4/1) no Teatro de Arena Eugênio Kusnet, no centro de São Paulo. O sepultamento será no Cemitério Vila Alpina.

Ele morreu na tarde do último sábado (3/1) na capital paulista em decorrência de um infarto fulminante. De acordo com o ator e autor de teatro, Oswaldo Mendes, amigo do dramaturgo há pelo menos 50 anos, o corpo de Chico de Assis foi encontrado no apartamento dele no Jardins, onde morava sozinho.

Ele conta que a filha foi ao local depois de tentar, sem sucesso, falar com o pai ao telefone e já o encontrou morto. “É uma grande perda para o teatro e para o Brasil”, declarou ele.

Mendes lembra que, neste ano, o Teatro de Arena completaria 60 anos. “Estamos prevendo comemorações. Infelizmente, não teremos ele aqui conosco, mas ele certamente estará presente de alguma forma”, lamentou. Hoje, o teatro, fundado em 1955, é administrado pela Fundação Nacional de Artes (Funarte).

Carreira

Chico de Assis nasceu em São Paulo em 1933 e iniciou a carreira como ator de rádio em 1953. Em mais de 60 anos de carreira, trabalhou como ator, dramaturgo, compositor e diretor. Ele entrou para o Teatro de Arena em 1958 e, neste mesmo ano, integrou o elenco de A Mulher do Outro, de Sydney Howard, com direção de Augusto Boal, e de Eles Não Usam Black-Tie, de Gianfrancesco Guarnieri, dirigido por José Renato – fundador e diretor do teatro.

O dramaturgo foi um dos fundadores do Seminário de Dramaturgia do Teatro de Arena. De acordo com a Funarte, o evento marca a história do teatro brasileiro com um movimento de aproximação à realidade popular e de valorização de autores nacionais. Nessa época, ele escreve O Testamento do Cangaceiro, encenado em 1961, tendo Boal como diretor.

No ano passado, Chico de Assis, recebeu a Ordem do Mérito Cultural, concedida pelo Ministério da Cultura, que homenageia personalidade brasileiras e estrangeiras por contribuições à cultura nacional. A 20ª edição do prêmio, concedeu a honraria a quatro instituições e 26 personalidade, entre elas o dramaturgo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.