Corpo de Marisa Letícia é velado no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC

Ela e ex-presidente Lula se conheceram no local; Dilma, governadores e ex-ministros participam do velório da ex-primeira-dama

Ex-primeira-dama morreu na última sexta-feira, dias após ter sofrido um AVC | Foto: Reprodução / Facebook

Por volta das 9 horas da manhã deste sábado, o corpo da ex-primeira-dama Marisa Letícia Lula da Silva chegou ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, onde foi velado. Ela e o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) se conheceram no local.

Iniciado às 9h apenas para familiares, o velório foi aberto ao público por volta das 10h20. Ao meio dia, uma fila de mais de 700 pessoas esperava para se despedir de dona Marisa Letícia e cumprimentar Lula. O ex-presidente permaneceu até por volta das 12h40 ao lado do caixão recebendo abraços dos populares que vieram ao velório. Depois disso, foi descansar em uma sala reservada.

A ex-presidenta da República, Dilma Rousseff (PT) chegou ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo Campo, onde ocorre o velório de dona Marisa, por volta das 11h30. Ela cumprimentou o ex-presidente Lula e permaneceu ao lado do caixão recebendo abraços de populares.

Também estiveram no velório para se solidarizar com o ex-presidente Lula e manifestar pesar à família os governadores do Rio de Janeiro, Luiz Fernando Pezão (PMDB), e de Minas Gerias, Fernando Pimentel (PT), o senador Lindbergh Farias (PT-RJ), além de ex-ministros da gestão de Lula na Presidência da República, como Luiz Dulci, Luiz Marinho, Gilberto Carvalho e Paulo Vannuchi. O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), e os ex-ministros da gestão de Dilma Rousseff, Juca Ferreira e Aloizio Mercadante também prestaram solidariedade ao ex-presidente.

Às 14 horas teve início um culto ecumênico, no qual dona Marisa foi homenageada. Em seguida, o corpo da ex-primeira-dama segue para o Cemitério Jardim Colina, onde será cremado numa cerimônia reservada à família. Em seu discurso, Lula lembrou a trajetória de Marisa e homenageou a esposa. “Sou resultado de uma menina que parecia frágil, mas que me deu todas as garantias que precisei para viajar para criar minha candidatura, criar o PT e me deu toda a sustentação que eu precisei”, afirmou.

Ele contou, ainda, da época que foi presidente. Segundo ele, não quis dar nenhum cargo para a esposa porque ela seria muito perseguida pela imprensa e ele precisava do apoio dela.”Ela tinha muito mais importância que os ministros e me dizia ‘Lula, você não esqueça nunca de onde você veio e para onde você vai'”, disse.

Dona Marisa morreu após complicações de um Acidente Vascular Cerebral (AVC), decorrente do rompimento de um aneurisma que ela tinha no cérebro há dez anos. O protocolo de morte encefálica foi concluído após dois exames realizados na sexta-feira (3) que confirmaram a perda definitiva e irreversível das funções cerebrais.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.