Corpo de Eliza Samúdio não é encontrado em local indicado por primo do goleiro Bruno

No local, apenas alguns objetos foram encontrados, entre eles, uma luva

A Polícia Civil de Minas Gerais encerrou, sem sucesso, no início da tarde desta sexta-feira (25/7) as buscas pelo corpo da modelo Eliza Samúdio em um terreno próximo ao Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, na região metropolitana de Belo Horizonte. O local foi indicado por Jorge Rosa Sales, primo do goleiro Bruno, condenado a 22 anos de prisão por tramar a morte da ex-amante.

O lote vago fica próximo ao bairro Santa Clara, no município de Vespasiano, perto da casa do ex-policial civil Marcos Aparecido dos Santos, o Bola, um dos condenados pela morte da modelo. A busca pelo corpo teve início nesta manhã e foi acompanhada pelo advogado do primo de Bruno. De acordo com o representante, Jorge ficou frustrado ao saber que nada foi encontrado no local apontado por ele.

Uma retroescavadeira foi utilizada nas buscas e chegou a escavar um buraco com aproximadamente três metros, mas sem êxito. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil, no local, apenas alguns objetos foram encontrados, entre eles, uma luva.

Jorge Rosa Sales era menor em 2010, quando ocorreu o crime, e cumpriu medida socioeducativa pela participação no assassinato da modelo. Segundo ele, o testemunho à Rádio Tupi do Rio Janeiro na última quinta-feira (24) foi motivado por sua consciência.

“Ela está enterrada num sitiozinho em BH próximo ao Aeroporto de Confins. Antes de chegar no aeroporto. É uma estrada de chão bastante deserta, não tem muito movimento, praticamente abandonada. Eu identifico com um pé de coqueiro que é meio curvado. Sou muito observador, eu sei ver o local, sei chegar. Eu só estou dando essa reportagem aqui porque eu quero que a minha mente fica tranquila. Acabar com isso logo para a mãe dela poder enterrar a filha dela”, disse à reportagem.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.