Corporação estará presente nos principais pontos turísticos do Estado. Principal preocupação é com afogamentos

A partir da sexta-feira (9/2), Bombeiros Militares partem de Goiânia para diversas cidades do interior de Goiás para reforçar a segurança dos foliões nos principais pontos turísticos durante a Operação Carnaval 2018.

Segundo o coordenador da operação, Tenente Coronel Michelsen Rodrigues de Faria, o reforço do efetivo será enviado para os municípios que solicitaram apoio, além dos locais onde o feriado prolongado é comemorado tradicionalmente em Goiás como Caldas Novas, São Simão, Aruanã e Três Ranchos.

Neste ano, professores de educação física poderão receber treinamento de ações preventivas e de resgate de vítimas em meio líquido. Durante o treinamento, a corporação dará dicas e orientações quanto às ocorrências em redutos e balneários de lazer aquático.

Por mais um ano, o foco da Operação Carnaval 2018 será no trabalho educativo para sensibilizar os foliões a não estragarem a festa. A ideia é que pequenos cuidados podem evitar grandes tragédias.

Os bombeiros militares serão distribuídos em postos avançados montados à beira de lagos, represas e rios, onde se observa uma grande concentração de turistas e serão utilizadas embarcações como canoas e moto náuticas, além dos equipamentos de segurança obrigatórios como coletes salva-vidas e boias.

Outro objetivo do Corpo de Bombeiros Militar é reduzir o tempo-resposta no atendimento às ocorrências e dar rápido suporte de vida para os foliões que necessitarem de socorro especializado.

Para isso, o planejamento da operação previu a ação integrada de cada unidade e posto e também um reforço nas viaturas e equipamentos disponíveis para as equipes de bombeiros. Todos os quartéis do Estado, em especial das cidades turísticas, estarão empenhados em garantir a segurança dos foliões durante todo feriado. A maior preocupação ainda é o afogamento. No período de folia, a combinação bebida e mergulho torna-se mais recorrente e é uma mistura altamente perigosa.

A experiência dos anos anteriores mostra que quase todas as mortes nos balneários poderiam ter sido evitadas, já que a causa da maioria dos afogamentos é a imprudência da vítima ou de alguém que a acompanhava. O perfil das vítimas de afogamento é jovem, do sexo masculino, de 14 a 21 anos. Boa parte consome bebida alcoólica antes de entrar na água ou não respeita faixas de contenção. Em 2018, os bombeiros registraram no Carnaval três mortes por afogamento em Goiás.

Para evitá-las, estão sendo distribuídos flyers com dicas de segurança, realizadas palestras educativas nas escolas, aulas práticas sobre prevenção de afogamentos para o público externo, orientações aos turistas, sinalização com placas para avisar local de risco de afogamento, delimitação de área de banhistas nos principais rios e lagos, além de campanha educativa em redes sociais e rádios com áudios e vídeos sobre cuidados com afogamentos.