CoronaVac é mais eficaz contra variantes do coronavírus, diz Dimas Covas

A maior eficácia contra as novas variantes do vírus é devido a tecnologia aplicada na elaboração das vacinas

Apesar da maior eficácia, Butantan vai monitoras respostas imunológicas| Foto: Divulgação / Governo SP

Nesta sexta-feira, 11, o diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, admitiu estar preocupado com o impacto que as novas variantes do coronavírus podem causar na eficácia das vacinas, porém, segundo Dimas Covas, a característica da CoronaVac minimiza as chances de problemas se comparadas a outras vacinas. 

Segundo Dimas Covas, as vacinas que se basearem na proteína S podem ter problemas para enfrentar as novas variantes. “Incluém-se nesse tipo de vacina a vacina da AstraZeneca, da Pfizer, a Sputnik, da Rússia, e a da Johnson. Todas elas poderão ter problemas com essas variantes”, afirmou. 

Diferente das outras vacinas, a CoronaVac usa um método diferente, mais tradicional se comparada às outras que utilizam tecnologia mais moderna. A CoronaVac é baseada no vírus inteiro inativado. “O vírus foi quebrado nos seus pedaços e esses pedaços formam a vacina. Quando o indivíduo recebe esses pedaços do vírus, ele produz uma resposta imunológica ampla”, afirmou. 

Apesar da eficácia maior da CoronaVac perante as variantes do coronavírus, Dimas Covas afirmou que o Instituto Butantan irá monitorar a relação da CoronaVac com as novas variantes do vírus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.