Convenção do Patriota realizada hoje é novamente alvo de questionamentos

Grupo liderado pelo vice-presidente da legenda, Ovasco Resende, e pelo secretário-geral, Jorcelino Braga, estuda quais serão os caminhos jurídicos adotados contra as medidas deliberadas no encontro desta segunda-feira (14), o segundo em menos de 15 dias

Presidente nacional do Patriota, Adilson Barroso | Foto: reprodução/ Patriota

Se depender da paz interna no Patriota nos próximos dias para se filiar ao partido, o presidente Jair Bolsonaro terá que esperar. A guerra entre os dois grupos do diretório nacional ganhou mais um capítulo hoje (14). O presidente nacional, Adilson Barroso, é acusado pelos adversários de novamente cometer uma série de irregularidades durante a convenção da legenda, a segunda em menos de 15 dias.

Em nota, o grupo liderado pelo vice-presidente da legenda, Ovasco Resende, e pelo secretário-geral, Jorcelino Braga – presidente da sigla em Goiás, estuda quais serão os caminhos jurídicos adotados contra medidas deliberadas na convenção nacional realizada no final da manhã desta segunda-feira.

“No desespero o presidente nacional do Patriota Adilson Barroso promove um verdadeiro festival de fraudes na convenção de hoje (14/06/2021). De novo, não houve debate democrático. De novo, não houve transparência, principalmente em relação ao Estatuto. De novo, promove uma votação sem ter quórum qualificado, que é determinação expressa no estatuto do partido, pois a maioria dos votos que conseguiu, mais uma vez foi feito de forma irregular”, destaca a nota.

A convenção do Patriota contou novamente com a participação do senador Flávio Bolsonaro, que já está filiado ao partido. Durante o encontro, o filho 01 do presidente disse que o pai espera a legenda resolver a guerra interna para que possa se filiar.

“O presidente quer vir com esse cenário, com esse contexto de tranquilidade, e segurança jurídica, obviamente”, declarou Flávio. A expectativa era que isso ocorresse nos próximos dias.

A direção do partido voltou a se reunir hoje após o Cartório do Primeiro Ofício de Notas do Distrito Federal ter emitido na semana passada nota devolutiva cobrando que Adilson Barroso prove e esclareça sobre o quórum qualificado da convenção. O documento exigia ainda que o presidente nacional esclarecesse ou retificasse mais oito pontos para efetivar o registro da convenção.

O secretário-geral do diretório nacional do Patriota, Jorcelino Braga, tem dito que não é contra a filiação de Jair Bolsonaro ao partido, mas em qual condição o presidente da República embarca na sigla.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.