Plataforma demanda número de inscrição cadastral do imóvel

Foi lançada pela Prefeitura de Goiânia, neste sábado, 4, a plataforma de simulação do novo valor a ser cobrado pelo Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) em 2022, a partir das mudanças na fórmula do cálculo do tributo, com a aprovação e a sanção do novo Código Tributário. A plataforma já havia sido prometida pelo prefeito de Goiânia, Rogério Cruz (Republicanos), em diversas ocasiões, após cobranças de maiores explicações do real impacto quanto às mudanças implementadas com a nova legislação.

Em novembro, um prazo que não foi cumprido havia sido estabelecido em uma edição do Diário Oficial do Município (DOM). Isso, porque o simulador deveria ter sido entregue até o dia 26 de novembro. A plataforma foi desenvolvida em conjunto pela Secretaria Municipal de Inovação, Ciências e Tecnologia (Sictec) e pela Secretaria Municipal de Finanças (Sefin).

A nova fórmula de cálculo é baseada no valor dos imóveis e impede qualquer reajuste acima de 45%. O simulador, no entanto, foi uma demanda dos vereadores e da população, e foi uma tentativa do prefeito de amenizar o desgaste criado a partir da sanção do novo código. Devido a um impasse interno na Sefin, o superintendente de administração tributária, João Cláudio Fernandes Alves, chegou a ser exonerado. Auditores lotados na pasta também entregaram os cargos em forma de protesto contra o titular da pasta, Geraldo Lourenço.

Veja como utilizar o simulador

Ao entrar no site do simulador on-line, localizado no portal da Prefeitura de Goiânia, basta clicar para acessar o serviço. Ao acessar a página para preencher o campo, basta utilizar o número de inscrição cadastral do imóvel. A partir disso, será mostrado o valor do IPTU a ser pago em 2022 e quanto seria cobrado sem a reforma que criou o novo Código Tributário.