Contrato com Petrobras serviu para Bumlai quitar empréstimo destinado ao PT, diz procurador

Investigação comprovou, até agora, que em 2004 houve valor contraído formalmente no nome do empresário, preso nesta terça-feira (25)

Pecuarista José Carlos Mulbai | Reprodução/YouTube

Pecuarista José Carlos Mulbai | Reprodução/YouTube

O procurador da República Diogo de Mattos disse nesta quinta-feira (24) que o empresário e pecuarista José Carlos Bumlai, preso pela Polícia Federal nesta terça-feira, na 21ª fase da Operação Lava Jato, usou contratos firmados com a Petrobras para quitar empréstimos com o Banco Schahin.

A afirmação do procurador foi feita durante entrevista coletiva para detalhar a nova etapa, denominada Operação Passe Livre, que investiga indícios de fraude em licitação na contratação de navio-sonda pela Petrobras. O empresário é considerado amigo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

De acordo com o procurador, o que a investigação comprovou até agora é que, em 2004, houve um empréstimo contraído formalmente no nome de José Carlos Bumlai. “Segundo informações de três colaboradores, na realidade esse empréstimo se destinava ao Partido dos Trabalhadores (PT) e foi pago mediante a contratação da Schahin como operadora do navio-sonda Vitória 10.000, da Petrobras, em 2009.”

Diogo Mattos acrescentou que o principal empréstimo investigado, de R$ 12 milhões, foi contraído em 2004. “Esse empréstimo foi postergado ao longo dos anos. No fim de 2005, a fim de quitá-lo, foi feito um novo empréstimo no mesmo banco por uma empresa de Bumlai. Essa empresa contraiu o empréstimo, passou para Bumlai, que o quitou, mas surgiu um novo débito de R$18 milhões. Esse empréstimo também não foi pago”, afirmou Mattos.

Segundo o auditor da Receita Federal Roberto Leonel de Oliveira Lima, integrante da equipe da Operação Passe Livre, esta fase da Lava Jato se diferencia das demais pelo número de empréstimos investigados. “A diferença verificada na análise da recondução do patrimônio de alguns dos envolvidos e de algumas de suas empresas é basicamente centrada em uma série de empréstimos recebidos de bancos públicos e privados. Essa série de empréstimos gerou recursos que foram transferidos a várias pessoas”.

“O que temos claramente é um depoimento informando que Delúbio Soares, ex-tesoureiro do PT, esteve no Banco Schahin para realização desse empréstimo e que houve um telefonema de José Dirceu ao então presidente do banco para se responsabilizar pelo empréstimo. Não que ele tenha falado nesse telefonema sobre o empréstimo, mas ele nunca tinha ligado ao banco ou conversado com o senhor Schahin antes”, disse o procurador da República Carlos Fernando dos Santos Lima.

Uma resposta para “Contrato com Petrobras serviu para Bumlai quitar empréstimo destinado ao PT, diz procurador”

  1. Avatar Epaminondas disse:

    Deixe-me ver se entendi: Dois tesoureiros do PT foram presos; Dirceu, segundo do partido, preso, DUAS VEZES; filhos do Lula recebendo por serviços suspeitos com gente com interesses no Governo; amigo próximo de Lula, preso…

    E tem gente aí fora achando Lula inocente. Vítima até, dessa elite malvada que não consegue ganhar uma eleição, porém consegue engedrar uma trama de desvio de recursos públicos para OUTRO partido.

    Deste 2006.

    Cante, Bumlai, cante. Queremos que Lula tenha sua ceia de Natal com uma tornozeleira eletrônica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.