Contra a homofobia, aluno de Engenharia do ITA vai a formatura de vestido e salto

Pelo Facebook, acadêmico de um dos centros de estudos mais avançados do País relata casos de chacota, intimidação e discursos de ódio na instituição

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Um ousado protesto protagonizado pelo acadêmico de Engenharia Talles de Oliveira Faria no último sábado (17/12), durante formatura do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), um dos centros de estudos mais avançados do País, acabou gerando polêmica nas redes sociais nesta semana. Contra a homofobia, o estudante compareceu ao evento de graduação trajando um vestido vermelho e salto alto.

Na internet, o vídeo em que ele recebe o diploma de conclusão do curso tem milhares de compartilhamentos e reações (Confira aqui). A princípio, Talles não deve ser punido, uma vez que, conforme as normas da Aeronáutica, enquanto aluno, ele poderia usar traje civil na cerimônia.

A manifestação fez com que a Força Aérea Brasileira (FAB) emitisse uma nota em que informa que a reitoria repudia qualquer ato de homofobia e também “não questiona nem registra” a orientação sexual de seus alunos e formandos.

Não é bem isso o que Talles relata em uma publicação em sua conta no Facebook, desta terça-feira (20/12), três dias após sua formatura. No texto, o aluno conta que sofreu sim preconceito por conta de sua sexualidade e fala de casos de chacota, intimidação e discursos de ódio dentro da instituição.

“Senti como a homofobia acontece nas Forças Armadas através da invisibilidade, da chacota e da expulsão daqueles que ousam se abrir em relação a sua orientação sexual. […] Cheguei no ITA e decidi que pra mim bastava. Aceitem-me como sou ou sejam expostos pelo que vocês são. Não me aceitaram, violentaram-me, riram de mim, tentaram me tornar invisível”, conta Talles na postagem.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.