Contarato deixa a Rede para se filiar ao PT

Senador ganhou notoriedade na CPI da Covid-19 e pode concorrer ao governo do Espírito Santo

Cotado para concorrer ao governo do Espirito Santo nas eleições de 2022, o senador Fabiano Contarato anunciou na última segunda-feira, 13, que deixou o partido Rede Sustentabilidade para se filiar ao PT, a convite do ex-presidente Lula (PT). No partido ele deve ter respaldo, tempo de partido e mais recursos para concorrer ao pleito contra o atual governador, Renato Casagrande (PSB).  

O anúncio foi comunicado por meio da assessoria de imprensa. O senador agradeceu a Rede, onde Contarato ganhou notoriedade, inclusive, durante a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Ele rebateu o empresário bolsonarista Otávio Fackhoury, que foi acusado de disseminar notícias falsas durante a pandemia.  

Dentro da sigla, o senador afirma que a jornada em defesa continua no espectro progressista, onde pretende atuar por um país mais justo e igualitário e que defenda o povo e preserve os recursos naturais. “Após ter recebido e analisado convites de legendas do campo progressista, comunico minha decisão de filiação ao Partido dos Trabalhadores (PT), que será efetivada em momento oportuno”, acrescenta.  

No partido, o senador avalia que a militância social e as lideranças do PT vão somar esforços para que o país retome a trilha de desenvolvimento, pleno emprego, defesa dos direitos humanos, proteção e oportunidade aos mais pobres, apoio do Estado às maiorias minorizadas, combate a todo tipo de desigualdade, investimento em saúde e educação.  

“Os governos liderados pelo PT devolveram ao país credibilidade internacional, permitiram aos pobres cursar universidade, expandiram a estrutura de ensino no país, abriram os porões da ditadura com a Comissão Nacional da Verdade, democratizaram a participação da sociedade nas decisões de governo, geraram crescimento econômico alinhado com políticas sociais exitosas, devolveram aos brasileiros o orgulho nacional”, lembra o senador.  

Ligado à renovação política, o senador afirma que todos os casos que envolveram o PT e as lideranças da sigla foram investigados e julgados, como é o caso do ex-presidente Lula (PT), que deve concorrer à presidência novamente, com o apoio dele. “Seus erros foram investigados e devidamente punidos pela Justiça”, comenta o senador.  

Perda na Rede 

Com apenas dois senadores no Congresso Nacional, a Rede, por meio dos porta-vozes nacionais da sigla, Heloísa Helena e Wesley Diógenes, lamentou a desfiliação de Contarato, que figurava ao lado de Randolfe Rodrigues, a bancada da sigla.  

A decisão, segundo o partido, estava anunciada desde dezembro de 2020, porém não afetou a relação do senador para com o partido, que teve uma boa relação com a sigla durante os quase três anos que Contarato esteve filiado e representou a Rede no Senado Federal. “Seguiremos confiantes e resolutos na missão e no propósito que inspiram a fundação da Rede, lutando por um país mais justo, ético, livre, solidário e sustentável para todos (as)”, diz os porta-vozes em nota.  

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.