Contaminação de rio em Crixás mata centenas de peixes e resolva moradores da região

Dono de uma propriedade às margens do rio testemunhou alteração na coloração da água. “Conforme a cor ia mudando mais peixes apareciam mortos”

Foto: Reprodução

O Rio Vermelho, que corta parte do município de Crixás, foi contaminado na última semana por uma substância ainda não identificada. A contaminação resultou na morte de animais de diferentes espécies e foi registrada, com indignação, por moradores da região.

Volmir Zanatto, que possui uma propriedade às margens do rio há mais de 15 anos, relatou à reportagem que testemunhou uma alteração na coloração da água. “Ficou muito clara e conforme a cor ia mudando mais peixes apareciam mortos”, disse.

Segundo Zanatto, após perceber o que estava acontecendo, imediatamente procurou a Ministério Público para relatar o ocorrido. “Eles me disseram que irão adotar as providências cabíveis. Mais tarde, vieram alguns fiscais e recolheram um pouco da água do rio para fazer os estudos necessários. Esperamos que alguém tome providências pois é uma tristeza muito grande. Sabemos o quanto isso irá prejudicar a fauna e a flora da nossa região”.

Veja vídeo gravado por populares:

Mineradora

Após o incidente, as pessoas que residem nas proximidades do rio imediatamente associaram a contaminação da água à empresa AngloGold Ashanti – Serra Grande, uma mineradora de ouro que funciona na região há mais de 30 anos.

Diante das críticas, a mineradora divulgou uma nota para informar que está realizando “estudos técnicos” na intenção de verificar se existe qualquer relação entre a operação e a recente morte de peixes identificada no Rio Vermelho”.

O comunicado diz ainda que a empresa identificou “um vazamento de pequeno porte de material industrial de sua planta”. Em seguida, destacou que, assim que identificado, o problema foi sanado imediatamente e que agora está estudando se há relação entre os eventos.

Também foi relatado que a Companhia de Saneamento Básico (Saneago) não realiza captação de água no rio. “Portanto, seja qual for a causa, não compromete o abastecimento da cidade”, frisou a empresa.

Diante do imbróglio, a mineradora ainda orientou a população a não consumir peixes ou utilizar água do rio até que seja esclarecida a causa do problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.