Consumidores com viagem para o Nordeste e Chile podem exigir cancelamento sem taxas

Orientação é do Procon Goiás e leva em consideração derramamento de óleo que atingiu diversas praias da região e os protestos no país latino-americano

Foto: reprodução

O Procon Goiás publicou nesta terça-feira, 22, uma série de orientações para consumidores com viagem marcada para o Nordeste e para ou Chile. Em razão das crises de diferentes naturezas que vivem os locais, o órgão orienta o que cada consumidor tem direito, como cancelamento de passagens.

No Nordeste, os vazamentos de petróleo que chegam às praias preocupam turistas, já que a viagem dos sonhos para locais paradisíacos agora é afetada pelo líquido escuro. Nesse caso, consumidores que decidirem cancelar a viagem podem entrar em contato com o Procon pelo cancelamento sem o pagamento de multas, quem explica é o superintendente do Procon Goiás, Wellington de Bessa.

“O consumidor deve verificar se o local de destino foi efetivamente afetado pelo desastre natural a ponto de prejudicar o acesso às praias, a passeios e demais serviços que o turista havia planejado. Desta forma, a viagem se inviabiliza”, explica Bessa.

A lista de locais já atingidos inclui destinos turísticos como as praias de Pipa (RN), Porto de Galinhas (PE) ou o Parque dos Lençóis Maranhenses (MA).

Chile

Segundo o Procon, a mesma orientação vale para os consumidores com viagem para o Chile. O país enfrenta uma série de protestos contra o governo chileno. Entre confrontos com a polícia a incêndios provocados por manifestantes a política registra pelo menos 12 mortos, levando o governo a impor toque de recolher. Além disso, há cancelamentos de voos pelas próprias companhias.

Nesses casos os consumidores são orientados a procurarem as empresas aéreas ou agências para tentar acordo, em caso de negativa o caso poderá ser reclamado junto ao órgão. Para os que estão no Chile impossibilitados de voltar há o direto de permanecer em condições adequadas garantidas pelas companhias.

Orientações

O Procon Goiás orienta que os consumidores registrem suas tentativas de negociação, anotem o número de protocolo, e anexem textos e fotos de reportagens que mostram as praias afetadas. Caso queiram fazer a reclamação, o atendimento pode ser feito na sede do órgão, localizado na Rua 8, nº 242, Ed. Torres, no Centro de Goiânia.

Para quem prefere a comodidade, outra forma de atendimento é a plataforma Procon Web: proconweb.ssp.go.gov.br. Já se a opção for pelo telefone, o consumidor pode ligar para o 151 (Goiânia) ou para o número: (62) 3201-7124.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.