Conselho Regional de Farmácia alerta para riscos de automedicação com “kit covid”

De acordo com o CRF-GO, pacientes sem sintomas não devem substituir isolamento social, máscaras e higienização das mãos por remédios sem comprovação científica contra a doença

Com a adoção dos kits profiláticos como medida de enfrentamento ao coronavírus, o Conselho Regional de Farmácia de Goiás (CRF-GO) alertou para os riscos do uso de remédios em pessoas sem sintomas e sem acompanhamento médico.

“Medicamento não pode ser usado por fé ou paixão, mas por comprovação científica”, afirmou Daniel Jesus, diretor secretário do CRF-GO, professor e mestre em farmacologia. De acordo com o conselho, além dos efeitos adversos, o uso dos remédios causam uma falsa sensação de segurança para a não adoção de medidas que comprovadamente evitam a proliferação da Covid-19, como o isolamento social, uso de máscaras e higienização das mãos.

O CRF ainda ressalta que o uso de substâncias deve ser feito de acordo com o estágio da doença em cada paciente e observando as condições médicas, se há comorbidades ou não.

“O CRF-GO é contra o uso indiscriminado da ivermectina, que foi apenas testada in vitro contra o vírus Sars-Cov-2 e não teve sua eficácia comprovada clinicamente, e alerta que a administração indevida pode causar neurotoxidade ou danos ao Sistema Nervoso Central. Também não recomenda, a não ser sob prescrição médica, o uso da hidroxicloroquina, que perdeu até sua homologação no FDA (Food and Drug Administration, em inglês) nos Estados Unidos devido aos efeitos colaterais que podem
provocar arritmia cardíaca”, disse a organização em informativo.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.