Conselho de Arquitetura e Urbanismo manifesta apoio à interdição da Marginal Botafogo

Comunicado ratifica requerimento da vereadora Sabrina Garcêz da última quinta (8)

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Goiás (CAU-GO) encaminhou nota nesta sexta-feira (9/3) em que manifesta apoio à interdição total da Marginal Botafogo em Goiânia no trecho entre o Cepal e a avenida Goiás Norte, conforme requerimento da vereadora Sabrina Garcêz da última quinta-feira (8).

“O terreno do local está extremamente instável devido às chuvas e a Prefeitura está em plena realização de obras para evitar que a Marginal sofra com novos deslizamentos e erosões”, afirma a conselheira Maria Ester de Souza, integrante da Comissão de Política Urbana e Ambiental do Conselho.

“A segurança dos cidadãos que trafegam na via está comprometida. Também é preciso pensar na segurança e integridade física dos trabalhadores da própria prefeitura”, acrescenta.

Na nota, o conselho ainda pede que a prefeitura realize  devida manutenção e reparos nas pontes da capital. Em fevereiro, o Instituto Brasileiro de Avaliações e Perícias de Engenharia de Goiás (Ibape-GO) analisou a situação de seis pontes, e concluiu que todas elas carecem de manutenção – com destaque para a ponte da avenida T-63 sobre o córrego Cascavel, onde a situação foi considerada mais crítica. Segundo o Ibape-GO, a infiltração de água está afetando parte do solo que fica abaixo dos pilares de sustentação da ponte.

“É de fundamental importância que todas as intervenções para a manutenção da Marginal Botafogo e das pontes sejam feitas, a fim de garantir que a infraestrutura urbana desempenhará adequadamente suas funções”, diz Maria Ester de Souza. “Mas, acima de tudo, é preciso garantir a segurança de toda a população.”

Possibilidade real

A possibilidade de fechamento total da Marginal Botafogo foi debatida durante reunião nesta quinta-feira (8/3), no Paço Municipal. Na ocasião, foi estabelecido um prazo de 15 dias para que seja realizada uma análise quanto à possibilidade de interdição total da via para sua reconstrução. Também foi discutido a necessidade de um projeto do Executivo que detalhe o evidente risco de desastre.

Estavam presentes, além do prefeito Iris Rezende, o vereador Cabo Senna, o secretário da Secretaria de Infraestrutura e Serviços Públicos (Seinfra), Francisco Ivo, além de representantes da Defesa Civil Municipal, da Defesa Civil de Brasília e da Agência da Guarda Civil Metropolitana (AGCM).

Com o caos instalado na Marginal Botafogo, a vereadora Sabrina Garcêz (PMB) decidiu nesta semana pedir, formalmente, que a gestão interdite completamente a via até que uma solução definitiva para os inúmeros problemas seja apresentada.

Desde o ano passado, vários trechos da importante pista têm desabado com as fortes chuvas que atingem a capital, colocando motoristas em risco. Alegando crise financeira, a Prefeitura de Goiânia só tem feito intervenções pontuais e, como o próprio secretário de Infraestrutura, Francisco Ivo, reconhece, não permanentes.

Na última segunda-feira (5/3), a Secretaria Municipal de Trânsito, Transportes e Mobilidade (SMT) decidiu reduzir a velocidade na Marginal Botafogo de 80 km/h para 60 km/h enquanto reparos são realizados em 15 pontos considerados críticos.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.