Conheça sintomas da ansiedade que merecem a sua atenção e veja dicas de tratamento

Professor da Universidade Federal de Goiás (UFG) explica o que fazer quando alguns sinais começam a atrapalhar sua rotina

De acordo com Murilo Ferreira Caetano, psiquiatra e professor da UFG, drogas lícitas e ilíticas ajudam a curto prazo contra a ansiedade, mas prejudicam a longo prazo – Foto: Divulgação

Considerada o mal do século, a ansiedade pode se tornar – ou já se tornou – um transtorno para grande parte da população. De acordo com a OMS, o Brasil é o país mais ansioso do mundo. Mas, como reconhecer os sintomas físicos e conseguir controlá-los?

De acordo com Murilo Ferreira Caetano, psiquiatra e professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), a ansiedade tem um função adaptativa, já que ela prepara o ser humano para enfrentar adversidades, perigos, dando mais atenção para que se possa lutar ou fugir. “A partir do momento que, ao invés de impulsionar, ela passa a atrapalhar e bloquear a capacidade de reagir, ela causa sofrimento, se tornando uma ansiedade patológica”, explicou em entrevista ao Jornal Opção.

Confira as dicas do especialista:

Tratamento

A eficiência e necessidade do tratamento depende de cada caso. Há situações em que a terapia ou o medicamento podem curar, mas há casos em que o paciente tem que apenas ficar satisfeito com uma melhora, necessitando sempre de um tratamento paliativo.

“O tratamento tem que ser individualizado. Como a ansiedade patológica pode ser sintoma de transtornos diferentes, como depressão e pânico, por exemplo, para cada uma das condições você tem um procedimento específico”, explica Murilo.

De acordo com ele, é importante que o paciente seja avaliado globalmente para que possa ser instaurado uma forma de tratamento ideal, que nem sempre necessita de medicação.

Alternativas

Além do tratamento médico, quem sofre de transtorno de ansiedade precisa mudar o estilo de vida. As mudanças na rotina de vida são muitas vezes fundamentais na melhora da ansiedade.

É indicado a prática de atividade físicas, alimentação mais adequada e a busca por atividades prazerosas, como ouvir música e participar de ações coletivas.

Crise

Durante uma crise aguda, de acordo com o psiquiatra, existem tanto medicamentos que agem de forma instantânea quanto técnicas comportamentais que são utilizadas, relacionadas ao controle de respiração, tomada de consicência do proprio corpo. Um médico ou um terapeuta podem ensinar para cada pessoa as formas de controle.

Causa e quando procurar ajuda

Vários transtornos de ansiedade têm um fator genético muito forte, mas, de acordo com o especialista, o jeito de viver a vida também interfere muito.

Mas quando é possível perceber que é preciso procurar ajuda? “Quando a pessoa começa a ter muitos sintomas físicos para os quais não se acha causas definidas, com taquicardia, falta de ar, diarreia, tremores, sudorese, sensação de frio, dormência, isso são indícios de ansiedade patológica”, explica.

Além disso, quando se percebe que a ansiedade está atrapalhando a rotina diária, é preciso procurar um especialista.

Drogas

Segundo o médico, grande parte das drogas podem a curto prazo trazer um alivio para ansiedade, mas o que se sabe hoje em dia é que o uso excessivo tanto de drogas lícitas e ilícitas como cafeína, maconha, álcool e cocaína, na realidade, a longo prazo, piora a evolução dos quadros de ansiedade.

4 Comment threads
3 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
7 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Marcelo

Gostei muito da matéria.
Eu sinto esses sintomas e quando vou no banco ou na loteria a maioria das vezes acho que vou passar mal e se não saio da fila e vou embora fico ruim a sensação é de que vou passarl mesmo o que pode ser pode ser

Kátia

Marcelo, sinto a mesma coisa. Fico tonta demais em uma fila, passo muito mal, prefiro desistir.

Paulo

Bom dia eu me sinto as vezes assim ,mas tenho uma técnica que pode ajudar ,toda vez que me sinto mal eu conto até passar ,com isso vc tira o foco do nervosismo é nem lembra mais

Cláudio seixas

Lendo essa matéria um dos sintomas é dor de barriga Diarreia acabei de ter só em ler

Diniz

Eu tinha tudo isso que o Marcelo falou, depois que fui ao médico e o mesmo passou atividades físicas, agora estou 95% mais tranquilo, só falta eu mudar minha alimentação para chegar aos 100%.

Érica

Que Boa matéria de se ler, isso ajuda muito.

Marciana Lobo

Sempre me senti mal em filas, mas também tenho uma dificuldade enorme em entrar em casa depois que escurece. Não consigo dormir no escuro’ e tenho vários dos sintomas físicos mencionados. Acordo várias vezes na noite…mas sou assim desde criança.. Tomo 10 miligramas de paroxetina, mas me recuso a aumentar a dose. Tenho medo de me tornar eterna dependente de ansiolítico.