Congresso deve barrar uso do Fundeb no Renda Cidadã, indicam deputados da bancada goiana

Levantamento prevê perda de R$ 8 bi da educação pela proposta do governo. Deputados federais por Goiás apontam necessidade de fonte alternativa

A proposta do Governo Federal em utilizar recursos da educação para financiar o Renda Cidadã deve encontrar dificuldades no Congresso. O projeto entregue pelo Executivo na segunda-feira, 28, pode tirar até R$ 8 bi de escolas para custear o substituto do Bolsa Família. Ao Jornal Opção, deputados da bancada goiana preveem ser necessária outra fonte.

Cálculos divulgados nesta terça-feira, 29, pela organização Todos pela Educação, indicam que 2,7 mil municípios podem perder recursos de forma direta, afetando 17 milhões de alunos.

Flávia Morais

Para a deputada Flávia Morais (PDT), a iniciativa de estender um programa de renda básica é louvável. Apesar disso, a parlamentar sustenta ser necessário pensar em outra fonte de recurso.

“O Fundeb foi uma luta muito grande. O Congresso vai debater muito e eu acho que é essa a intenção. Tem várias alternativas e precisamos encontrar a melhor”, destaca Flávia, relembrando a recém-aprovação do Fundeb no Legislativo.

José Nelto

O deputado José Nelto (Podemos) sustenta que a resposta sobre alternativa de fundo pode estar na taxação de grandes fortunas. “Não existe dinheiro, vai fazer o que? Retirar da educação?”, questiona o parlamentar, acrescentando que taxar em 1% rendimentos superiores à R$ 1 milhão poderia ser a saída.

“Temos que discutir com o governo. É um projeto importante, então temos que encontrar uma saída melhor”, afirma Nelto, prevendo que da forma que está a matéria não será aprovada.

Rubens Otoni

“Eu estarei sempre favorável a qualquer iniciativa de ajudar os mais necessitados. O que não posso aceitar é que essa ajuda seja proposta a partir de retirar recursos da educação pública que é justamente direcionada para os mais carentes”, considera o deputado Rubens Otoni (PT).

Para Otoni, a expectativa é de que a Casa aprove “qualquer proposta de ajuda social, mas sem mexer no recurso do Fundeb”, destacando considerar que os recursos da educação já são limitados.

Lucas Vergílio

O deputado Lucas Vergílio (SD) também caminha no mesmo sentido dos colegas parlamentares. Para o deputado, a proposta é necessária, mas “a forma de custear está equivocada”.

“É necessário pensar em uma outra alternativa, e é uma responsabilidade do Ministro Paulo Guedes dar essa solução”, pontua Vergílio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.