Confira lista das melhores universidades do planeta e saiba como estudar em cada uma delas

Universidade de São Paulo foi a melhor colocada brasileira, na 118ª posição mundial

Foto: Reprodução

Todo ano, a empresa britânica Quacquarelli Symonds divulga uma lista com as melhores instituições de Ensino Superior em todo o mundo. Para o levantamento, são levados em consideração seis indicadores: reputação acadêmica, reputação no mercado de trabalho, relação entre número de alunos e professores em dedicação exclusiva, volume de trabalhos acadêmicos publicados, quantidade de professores estrangeiros e quantidade de alunos vindos de outros países. Cada indicador tem um peso diferente na pontuação final da instituição de ensino, com o índice de ‘reputação da universidade’ recebendo o maior peso, cerca de 40%.

Para a elaboração do ranking 2018/19, foram analisadas cerca de 4.500 instituições, sendo que os Estados Unidos dominaram o ranking das 10 melhores com cinco universidades, seguido pelo Reino Unido, com quatro, e a Suíça com uma. A USP (Universidade de São Paulo) foi a melhor colocada brasileira, na 118ª posição mundial, e, no ranking da América Latina, fica atrás apenas da Universidade de Buenos Aires (73ª) e da Universidade Nacional Autônoma do México (113ª).

Como se preparar

Quem deseja cursar uma graduação no exterior deve começar a se preparar o quanto antes, visto que, na maior parte das instituições mais renomadas é analisada a nota média do aluno em cada ano do Ensino Médio. “Os estudantes que começam o Ensino Básico com a metodologia internacional, mesmo no Brasil, já estão um passo à frente, já que estarão habituados com a metodologia, o idioma e as exigências das melhores escolas do mundo”, explica o diretor do Colégio Positivo Internacional, Pedro Daniel Oliveira.

Além disso, vale investir em cursos extracurriculares, trabalhos voluntários e competições, visto que eles contam pontos na hora da seleção. “Qualquer tipo de trabalho, ou projeto, é válido. Os alunos precisam fazer um registro das evidências de todo o seu comprometimento com as atividades”, explica Oliveira

Ele ressalta ainda a importância de escolher com cuidado a instituição de ensino na qual deseja estudar. É muito importante, por exemplo, que o estudante se identifique com o país no qual irá morar. “Para que a transição seja o mais suave possível, alguns pontos precisam ser tomados em consideração e um deles é o idioma que, dependendo do país para onde se está indo, poderá necessitar de ajustes”, instrui o diretor.

Confira o ranking das 10 mais e algumas curiosidades sobre a admissão em cada uma delas.

1 – Instituto de Tecnologia de Massachussets (MIT)

Para concorrer a um curso no MIT é preciso apresentar informação biográfica, redações curtas (de 100 a 250 palavras, com temas pré-definidos), cartas de recomendação (de um professor da área de exatas ou biológicas, de um professor da área de humanas e da coordenação da escola), histórico escolar e testes padronizados como SAT, ACT e TOEFL.

Preço médio anual: US$ 70.240 (aproximadamente R$ 263,4 mil).

2 – Universidade de Stanford

Para concorrer a um curso em Stanford é analisado o histórico escolar, redação, cartas de recomendação de dois professores, atividades extracurriculares, biografia,  pontuações nos testes SAT ou ACT, além de um teste de proficiência em Língua Inglesa, como TOEFL ou IELTS.

Preço médio anual: US$ 83 mil (aproximadamente R$ 311 mil).

3 – Universidade de Harvard

Para concorrer a um curso em Harvard é preciso realizar os testes padronizados SAT ou ACT e de proficiência em Inglês (TOEFL ou IELTS). Também é realizado análise de currículo acadêmico, envio de cartas de recomendação (duas), bem como a realização de redações.

Preço médio anual: US$ 77 mil (aproximadamente R$ 289 mil).

4 – Instituto de Tecnologia da Califórnia (Caltech)

Para estudar no Instituto é necessário realizar os testes padronizados (SAT ou ACT), mais o teste SAT em Matemática nível 2 e um teste SAT em Ciência. Duas cartas de recomendação de professores (uma da área de Humanas e outra de Exatas), histórico escolar, relatório do coordenador da escola, além do TOEFL.

Preço médio anual: US$ 72 mil (aproximadamente R$ 270 mil).

5 – Universidade de Oxford

Para ser admitido em Oxford é necessário fazer um Personal Statement (espécie de ensaio pessoal), histórico escolar, testes de admissão (varia conforme o curso), redações e entrevistas.

Preço médio anual: de 10 mil a 27 mil libras (aproximadamente R$ 49 mil a R$ 132 mil).

6 – Universidade de Cambridge

Para ser admitido em Cambridge é necessário fazer a inscrição no aplicativo UCAS, preencher o questionário de aplicação suplementar, preencher a solicitação preliminar de Cambridge Online (exclusivo para estudantes estrangeiros e para quem deseja pleitear uma bolsa de estudos), apresentar histórico escolar, redação, exame de proficiência em Língua Inglesa (IELTS acadêmico ou TOEFL) e participar de entrevista.

Preço médio anual: de 20 mil a 52 mil libras (aproximadamente R$ 97,8 mil a R$ 254 mil).

7 – Instituto Federal Suíço de Tecnologia  – ETH Zurich

O candidato precisa ser fluente em alemão. Além disso, é preciso apresentar currículo, histórico escolar e exame de admissão.

Preço médio anual: de 16 mil a 26 mil francos suíços (aproximadamente R$ 60 mil a R$ 97 mil).

8 – Imperial College London

Para se candidatar a um curso de graduação do Imperial É preciso fazer a inscrição no Serviço de Admissões de Universidades e Faculdades – UCAS. Além disso, é necessário apresentar uma declaração pessoal, histórico escolar, certificado IELTS,  realizar testes de admissão (variam conforme o curso) e participar de entrevistas.

Preço médio anual: em torno de 29 mil libras (aproximadamente R$ 142 mil).

9 – Universidade de Chicago

Para ser admitido na Universidade de Chicago é preciso apresentar um pedido de admissão, redações, histórico escolar, cartas de recomendação de dois professores, teste SAT ou ACT, certificado de proficiência em inglês (TOEFL, IELTS ou PTE)

Preço médio anual: US$ 56 mil (aproximadamente R$ 210 mil).

10 – UCL (University College London)

É preciso fazer a inscrição no UCAS e apresentar teste de proficiência em inglês (IELTS). Além disso, é preciso preencher os testes e os requisitos exigidos, de acordo com o curso escolhido.

Preço médio anual: de 18 mil a 34 mil libras (aproximadamente R$ 88 mil a R$ 166 mil).

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.