Candidado conseguiu comprovar que aprovado tinha relações profissionais e amizade com membro da banca examinadora

Foto: Reprodução

O juiz federal Juliano Taveira Bernardes suspendeu concurso público para professor da Escola de Música e Artes Cênicas (EMAC) da Universidade Federal de Goiás (UFG) por entender que candidato aprovado apresenta indícios de relação profissional e de amizade com membro da banca examinadora. Decisão é liminar e foi pedida por outro concorrente à vaga que se sentiu lesado.

O concurso previa apenas uma vaga, mas com aprovação de no máximo cinco concorrentes, na área de Trompa, Conjunto Musical e Estágio em Instrumentos de Sopro.  Em agosto, publicou-se a lista de candidatos com inscrições homologadas, da qual o constou que somente um dos concorrentes foi aprovado. No decorrer do certame, descobriu-se que o presidente da banca examinadora e o único candidato aprovado possuem estreita relação profissional, além de pública e notória amizade.

A defesa diz que o fato viola disposição expressa do edital. Isso porque, segundo alegam, a norma dispõe que nenhum membro da banca examinadora poderá ter vínculo em atividade profissional com candidato que tiver sua inscrição homologada e, muito menos, relação de interesse ou amizade íntima.