Concurso da PM do Paraná traz “masculinidade” como critério de avaliação

Edital do processo seletivo informa que objetivo é analisar se os candidatos possuem o perfil pré-estabelecido para o cargo

Divulgação

Um processo seletivo para a Polícia Militar do Paraná tem causado polêmica nas redes sociais após adotar a “masculinidade” como critério de avaliação psicológica. Segundo o edital, o objetivo é analisar se os candidatos possuem o perfil pré-estabelecido para o cargo.

O critério masculinidade é descrito no anexo II do edital como “capacidade de o indivíduo em não se impressionar com cenas violentas, suportar vulgaridades, não emocionar-se facilmente, tampouco demonstrar interesse em histórias românticas e de amor”. Segundo o edital, a “masculinidade” deve ser apresentada em um grau maior ou igual a “regular”.

Podem concorrer às vagas homens e mulheres, com idade até 30 anos, mas o número de vagas preenchidas por mulheres não pode ultrapassar 50% do total, em respeito à Lei Estadual nº 14.804/2005.

Em nota, a polícia afirmou que a adoção do critério foi interpretada de forma equivocada e que o objetivo é “avaliar a estabilidade emocional e a capacidade de enfrentamento, aspectos estes extremamente necessários para o dia a dia da atividade policial militar”.

Deixe um comentário