Comurg irá tentar acordo extrajudicial para definir demissão em massa de aposentados

Após pedido das três partes envolvidas, mediação do Ministério Público do Trabalho foi suspensa

Após pedido feito pela Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg), o município de Goiânia e o Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio Conservação, Limpeza Pública e Ambiental, Coleta de Lixo e Similares do Estado de Goiás (Seacons/GO), foi suspensa nesta sexta-feira (23/3) a mediação no Ministério Público do Trabalho em Goiás (MPT-GO) que iria definir critérios para demissão em massa de empregados aposentados.

No último dia 14, a empresa anunciou que cerca de 750 funcionários aposentados que continuam prestando serviços devem ser demitidos, mas o número ainda é uma estimativa.

Com a suspensão da mediação, a Comurg, a Prefeitura de Goiânia e o Sindicato irão requerer a homologação de um acordo extrajudicial à Justiça do Trabalho. Protocolado o pedido, o MPT será intimado pela Justiça para manifestar-se sobre a legalidade e a viabilidade do acordo.

Procurada pelo Jornal Opção, a Comurg disse que ainda não iria se manifestar sobre o caso. Em nota, o MPT disse que irá manifestar seu posicionamento após o acordo.

1
Deixe um comentário

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors
Chimanny

É triste ver que milhares de trabalhador tem que ser sub julgados por causa de corruptos que dominaram a firma, Ouvisse falar que haverá demição (Perseguição) nós que procurou ou procurar os seus direitos (processo trabalhista) deixando a maioria dos Servidores já sofrendo com a diminuição salarial e agora amendrontados, isso é muito triste pois o servidor não tem culpa das atos dos comissionados que colocam na comurg ou do sindicato