Comunidade kalunga de Goiás recebe reconhecimento inédito da ONU

Sítio histórico foi registrado como o primeiro Territórios e Áreas Conservadas por Comunidades Indígenas e Locais do Brasil

Área total do local é de 261 mil hectares e abrangem três municípios do Estado| Foto: Paulo de Araújo/Ministério do Meio Ambiente

As comunidades Kalunga que vivem há mais de 300 anos na Chapada dos Veadeiros, conquistaram nesta semana um importante título. O sítio histórico foi registrado de maneira oficial como o primeiro TICCA (Territórios e Áreas Conservadas por Comunidades Indígenas e Locais) do Brasil. O reconhecimento foi dado pelo Programa Ambiental das Nações Unidas. 

O Sítio Histórico e Patrimônio Cultural Kalunga é composto por 39 comunidades quilombolas e fica localizado nos municípios de Cavalcante, Teresina de Goiás e Monte Alegre. O reconhecimento da ONU amplia a autonomia para a gestão do território, que conta com 261 mil hectares de área.

Agora com a certificação oficial por parte da ONU, os Kalunga pretendem ter melhores condições de proteger o seu território contra as ameaças externas de fazendeiros no local, que buscam realizar a extração ilegal de minérios e madeira e pretendem usar as terras para pecuária e especulação imobiliária. Além disso, os Kalunga pretendem agregar ainda mais valor ao turismo de base comunitária que desenvolve e aos produtos da região.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.