Compositor denuncia Lêda Borges por plágio de jingle

Rezende Jr afirma que música usada em campanha no município de Valparaíso é plágio de jingle criado para a campanha de Roseane Sarney em 2018. Veja a comparação

Foto: Reprodução

O compositor Rezende Jr gravou um vídeo em que afirma que o jingle utilizado pela candidata a prefeita de Valparaíso, a deputada Lêda Borges (PSDB), é um plágio de uma obra de sua autoria. “Ninguém pode usar essa música sem nos pagar o licenciamento e a autorização porque a letra e a melodia é nossa”, dispara Rezende Jr.

“Sou um dos autores da música que a candidata Lêda Borges está usando em sua campanha. Música que ela está usando sem a minha autorização e sem autorização do meu companheiro Alexandre Oltramari. Essa música está na internet, tem milhares de visualizações, porque construímos essa música em 2018 para a candidata Roseana Sarney”, explica Rezende.

Rezende Jr diz ainda que existe uma diferença entre paródia e plágio. “Na minha opinião o que está acontecendo é um plágio”, prossegue o compositor que alega ter tentado negociar com os advogados da campanha que infelizmente não nos deram muita corda e estão deixando a coisa rolar”, diz. Ele frisa ainda que tentou falar inúmeras vezes com a candidata.

“Prestem atenção em quem vocês vão votar para prefeito aí na cidade. Uma pessoa que se apropria de uma música de forma indébita merece o seu voto?”, questiona Rezende Jr. “Quem começa já pegando a música de outro sem autorização é o que?”, completa.

Outro lado

Por meio de nota, o coordenador-geral de campanha da candidata Lêda, vereador Coronel Antônio Ferreira, afirmou ao Jornal Opção que o jingle é uma paródia. Ressaltou também que tentou resolver o imbróglio de maneira amistosa, “o que infelizmente não foi possível, devido ao suposto autor fazer exigências desproporcionais”. Leia na íntegra:

A respeito de matéria veiculada, salientamos que não houve plágio e sim paródia, o que não viola os direitos autorais, nos termos do artigo 47 da Lei dos Direitos autorais, confirmado em recente decisão do STJ.

Estivemos sempre à disposição para resolvermos a questão de maneira amistosa, o que infelizmente não foi possível, devido ao suposto autor fazer exigências desproporcionais.

O suposto autor tenta fazer uso político do fato, incentivado por adversários da candidata, como o mesmo admitiu em áudio enviado a nossa equipe e que permanece em nossos arquivos.

Respeitosamente,

Vereador Coronel Antônio Ferreira
Coordenador – Geral de Campanha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.