Complexo Viário da Jamel Cecílio deve levar nome do cantor Leandro

Obra de grande impacto vai destravar o tráfego em uma das regiões mais populosas de Goiânia

O complexo viário em construção no cruzamento da Avenida Jamel Cecílio com a Marginal Botafogo, no Jardim Goiás, deve homenagear o cantor Leandro, da dupla Leandro e Leonardo. A obra, avaliada em R$ 30,3 milhões, é realizada com recursos municipais, oriundos do empréstimo junto à Caixa , autorizado pela Câmara Municipal de Goiânia.

O projeto de autoria do vereador Paulo Magalhaes que denomina Complexo Viário Luís José da Costa — nome de batismo do cantor Leandro — foi aprovado nesta quarta-feira, 24, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara Municipal de Goiânia.

O complexo viário inclui três elementos diferentes de engenharia, nos mesmos moldes do que ocorreu no cruzamento da Avenida 85 com a Avenida T-63: o elevado, o viaduto em nível e a trincheira, e cada um deles atenderá a uma das vias atingidas.

A Avenida Jamel Cecílio vai passar pelo elevado sobre toda a obra; no nível da Alameda Leopoldo de Bulhões será construída a rotatória, na rua já existente; e a Marginal Botafogo passará em trincheira por baixo de tudo. Sobre o viaduto será erguido um monumento, representando simbolicamente o traçado da obra, sendo o elevado o braço e a rotatória, a boca de um violão.

Foto: Reprodução | Acervo pessoal do vereador Paulo Magalhães

O vereador Paulo Magalhães falou ao Jornal Opção que trabalhava na organização de eventos na década de 80, quando teve contato com a dupla. “Leandro e Leonardo foram artistas do povão e que fizeram com que o estado de Goiás se tornasse celeiro da música sertaneja”, afirma.

Segundo o parlamentar, na próxima terça-feira a proposta já deve ir a Plenário. “Tenho certeza que será aprovada e que o prefeito Iris Rezende irá sancionar, inclusive ele foi padrinho de casamento do Leandro”, destacou o vereador.

Monumento em homenagem à música

O monumento a ser erguido sobre o viaduto da Avenida Jamel Cecílio leva a assinatura do arquiteto Sandro Carvalho e foi pensado para valorizar a música goiana, lembrando que a Avenida dá acesso a dois importantes pontos culturais de Goiânia, o Oscar Niemeyer e a Casa de Vidro (em construção).

“O monumento dá a entender que o elevado é como se fosse o braço de um violão e lá tem a mão, dedilhando as cordas. A ideia central partiu da Casa de Vidro, porque a Avenida dá acesso a ela e também ao Oscar Niemeyer e é bem provável que a Casa de Vidro vai ter escola de música, várias atividades relacionadas, então, nós pensamos nessa situação de criar uma homenagem à música goiana”, destaca o arquiteto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.