Como ficará o trânsito de Goiânia sem a Marginal Botafogo

Apesar de reparos, problemas na via expressa aguardam solução definitiva. Neste caso, reconstruí-la seria única saída. Ao Jornal Opção, especialista faz prognóstico

Arquivo

Marcelo Gouveia e Matheus Monteiro

Uma das principais vias expressas da capital goiana, a Marginal Botafogo tem sido alvo de interdições quase semanais por conta de inúmeras erosões e desmoronamentos aos longo de seus 14 quilômetros de extensão.

Aporte de R$ 7 milhões liberado recentemente pelo Ministério das Cidades será destinado para obras em 18 pontos mais críticos da via. A previsão da prefeitura é de que a reforma fique pronta em até três meses.

Com a estrutura ameaçada, entretanto, é praticamente consenso o entendimento de que será preciso muito mais que alguns reparos para garantir a trafegabilidade na Marginal.

Neste cenário, a única saída seria reconstruir a via expressa implantada no início da década de 1990 com a promessa de retirar parte do fluxo de carros do centro da cidade.

Mas como ficará o trânsito de Goiânia sem a Marginal Botafogo? O Jornal Opção ouviu o professor da Escola de Engenharia Civil da Universidade Federal de Goiás (UFG) e especialista em Trânsito e Mobilidade, Cristiano Farias Almeida, para saber a resposta.

Durante entrevista, o especialista é categórico ao defender a interdição total da via, visando uma solução definitiva. Os transtornos irão ocorrer, adianta o profissional, mas também podem ser minimizados. Confira abaixo a entrevista na íntegra:

O trânsito da cidade de Goiânia consegue se sustentar com a interdição da Marginal Botafogo?
Não sei se o termo correto é sustentar. Mas que invariavelmente as pessoas que utilizavam a marginal para alcançar pontos distantes da cidade em menores tempos, usarão outras vias, algumas delas com menor mobilidade, ocasionando deslocamento com maiores tempos.

E em um cenário imaginário onde a Marginal é completamente interditada sem previsão de liberação, a cidade de Goiânia consegue se manter sem transtornos?
Bom, mesmo com a Marginal em funcionamento já havia transtornos. Ou seja, em uma hipótese de interdição definitiva da Marginal Botafogo, as viagens que eram feitas em tal via terão que ser realocadas paras outras vias, o que ocasionará piora no nível de serviço destas vias pelo aumento do fluxo veicular, caso não ocorra nenhum tipo de intervenção.

As ruas laterais ou próximas podem ficar sobrecarregadas?
Podem. Mas há possibilidade dos usuários frequentes da Marginal utilizarem outros corredores da cidade que tenham características similares ao da Marginal, no sentido de tentar encontrar formas de deslocamentos com menores tempos.

Há como fazer reparos e interdições em uma via tão grande sem causar transtornos?
Difícil. Não vejo como. Transtornos ocorrerão, mas pode-se minimizá-los.

Existe algum período do ano melhor para os reparos, que podem diminuir os transtornos de trânsito?
Podemos pensar em períodos em que o fluxo de veículos seja menor, para isso é necessário contagem volumétrica para sabermos de forma mais próxima da realidade a variação do fluxo de veículos ao longo do ano. Mas sabemos que há redução do número de veículos no sistema viário nos períodos destinados às férias escolares.

Os casos recentes de desabamento na via podem impedir que, mesmo após reformas, o fluxo de carros pesados na via sejam bloqueados?
Para responder essa pergunta é necessário fazer um estudo sobre as caraterísticas geotécnicas da via. Mas há outra preocupação, também importante, é quanto ao córrego Botafogo que sofreu intervenção em suas características naturais de forma a possibilitar a construção da Marginal, como por exemplo, o enquadramento do córrego em um canal que não permitia vazão da água de forma semelhante a situação original, além disso, o aumento da impermeabilização nas áreas altas fazendo com que chegasse mais água na porção baixa do relevo, ocasionando transbordamento e consequente alagamento da Marginal nos períodos de chuva.

O que os órgão de trânsito podem fazer para diminuir os transtornos do trânsito na região da Marginal?
Interditar a via é necessário para garantir a segurança no tráfego. Os transtornos vão existir, mas é necessário chegar a uma solução e tomar a decisão para que o usuário não só não tenha transtornos, mas principalmente, seja garantida a segurança.

Ao mesmo tempo em que a Marginal está interditada, uma ampliação da via está sendo planejada. Isso é possível do ponto de vista estratégico? O useria melhor deixar a ampliação de lado temporariamente?
Necessário identificar, inicialmente, as causas dos problemas recorrentes na Marginal, e em função disso analisar a possibilidade de utilização da via ou interdição completa.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Gideone

Hoje a Marginal Botafogo é uma das espinhas dorsais do trânsito da capital, na prática é difícil imaginar Goiânia sem esse eixo. O trânsito da cidade já é caótico sem a marginal acredito que todo o tráfego será agravado. Porém, se esse mal é necessário, que seja feita a obra e que resolva esse grave problema desta via.