Como agradecimento, paciente presenteia enfermeira com tapete de crochê

Tapete foi produzido pela Mulher durante tratamento no Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo), que incentiva atividades manuais para redução de estresse durante internação

Marli Rosa e a enfermeira presenteada, Katianne Cerqueira | Foto: Divulgação

Após ser pedida em casamento na enfermaria do Hospital de Urgências de Goiás Dr. Valdemiro Cruz (Hugo), a paciente Marli de Fátima Rosa, de 60 anos, presenteou a enfermeira Katianne Cerqueira com um tapete de crochê verde e vermelho. O objeto foi costurado por Marli enquanto se encontrava em tratamento no hospital e foi presenteado à enfermeira durante a rotina de cuidado com os pacientes do segundo andar do Hugo.

“Como tem tempo que estamos juntas no Hugo, ela adquiriu um carinho por mim. Sempre lembra do meu nome, gosta de conversar”, conta Katianne sobre a rotina de Marli na internação. Para ela, o gesto de Marli foi gratificante e representa o reconhecimento ao profissional que diariamente atua nos cuidados aos pacientes.

Apesar de a vontade de Marli de costurar o tapete de crochê ter vindo por conta própria, a psicóloga da instituição, Mônica Lélis, diz que houve uma sugestão para que a paciente desenvolvesse alguma atividade para ela passar o tempo, com um exercício cognitivo.

“Como ela já sabia, dona Marli escolheu fazer o crochê”, diz a psicóloga. Lélis explica que as atividades manuais por pacientes do hospital são comuns para colaborar com os tratamentos.  “É uma arte-terapia para diminuir a ansiedade e ajudar no tratamento. Além disso, o tempo passa mais rápido. É um benefício que o paciente tem no hospital quando consegue ocupar a mente fazendo qualquer atividade”, explica a psicóloga.

Com suspeita de câncer no intestino, Marli ficou internada no Hugo duas vezes em 2021. Quando completou 60 anos, no dia 16 de junho, a paciente estava na unidade. Já quando foi pedida em casamento, em 1º de outubro deste ano, Marli se encontrava no Hugo desde 11 de setembro.

Marli de Fátima mora com Alencar há quase 30 anos. No último dia 1º, o homem chegou à enfermaria do hospital com flores na mão esquerda e a pediu em casamento.  “Hoje não trouxe aliança, mas estou ficando noiva hoje”, Marli se emocionou, na ocasião. Adereços de forma geral, como brincos, anéis e colares, são proibidos no ambiente pelo risco de contaminação por vírus, bactérias e a própria Covid-19.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.