Como a vitória sobre o Remo facilitou a vida do Goiás na Série B

Verdão agora só depende de si mesmo para voltar à divisão principal e já se garante se vencer o Guarani no próximo jogo

Alef Manga comemora seu gol, o único do Goiás contra o Remo na batalha de Belém | Foto: Fernando Torres/AGIF

Cilas da Silva Gontijo*

Na segunda-feira, 15, o Goiás entrou em campo no Baenão, estádio do Clube do Remo em Belém, com uma missão: quebrar um tabu de 46 anos sem vencer o time paraense. O Verdão precisava da vitória para voltar ao G-4 – o “grupo dos 4” que vão subir para a série A.

Tinha pela frente um time que está lutando contra o rebaixamento, o que normalmente dificulta a tarefa. Além disso, também havia o fantasma do tabu, como salientou o jornalista Elder Dias, em seu canal Verde 33, no YouTube, um dos mais antigos da história do Goiás –a primeira e única vitória goiana fora em 1975, com um gol marcado pelo meia-atacante Paghetti.

Mas como diz o dito popular, “tabu é pra ser quebrado”. Com esse pensamento o time goiano entrou em campo decidido a colocar um fim no trauma. E conseguiu, após seis derrotas jogando no Pará. A equipe aproveitou a única grande oportunidade do jogo aos 22 minutos do segundo tempo, quando marcou, com seu artilheiro Alef Manga, o gol que garantiu a 3ª colocação.

O jogo não foi uma apresentação de encher os olhos dos torcedores nem de um lado nem do outro. O time goiano errou muitos passes – o que, aliás, tem acontecido em praticamente todos os jogos. Mas o placar magrinho garantiu os três pontos, que foram gigantescos para as pretensões do time esmeraldino, que agora soma 61 pontos e só depende de si próprio para chegar a tão sonhada elite do futebol brasileiro.

Mas a pior parte do jogo foi fora de campo: a torcida do Remo hostilizou o atacante Nicolas, do Goiás, ex-Paysandu, o grande rival do Remo. Houve xingamentos homofóbicos durante a partida e a diretoria esmeraldina prometeu acionar o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para o caso.

Faltando apenas duas rodadas para o fim da Série B, o Goiás tem pela frente nessa segunda-feira, 22, o Guarani, no Estádio Brinco de Ouro da Princesa, em Campinas (SP). Para a partida, o Verdão não contará com Alef Manga que levou o terceiro cartão amarelo. O time paulista está com 59 pontos, na 4ª colocação, portanto logo atrás do Verdão, que, se vencer, já estará de volta à elite do futebol brasileiro.

Na última rodada, garantido na A ou não, o Goiás receberá o Brusque em sua casa, o Estádio da Serrinha. O time catarinense tem 41 pontos e considerável risco de ser rebaixado. Com certeza não vai aliviar as coisas, e deverá ser um jogo duro.

Cilas da Silva Gontijo* é estudante de Jornalismo da Faculdade Araguaia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.