Comitiva do governo visita Nova Zelândia para promover aproximação entre países

Governador destacou medidas que podem ser tomadas nas áreas de turismo e agropecuária, além de propor intercâmbio de alunos para estudarem no país

Marconi apresenta as potencialidades de Goiás a empresários neozelandeses, na Agência Nacional de Turismo da Nova Zelândia | Foto: Divulgação

Marconi apresenta as potencialidades de Goiás a empresários neozelandeses, na Agência Nacional de Turismo da Nova Zelândia | Foto: Divulgação

Cumprindo agenda política na Oceania, o governador Marconi Perillo (PSDB) visitou, nesta quinta-feira (18/2), a capital da Nova Zelândia, Wellington, para buscar parcerias com empresas do país interessadas em investir em Goiás. As possíveis áreas de atuação são de educação, turismo e agropecuária, setores importantes da economia neozelandesa.

Apresentando as potencialidades da economia do Estado, Marconi disse acreditar na recuperação do Brasil em tempos de crise e destacou que, para ele, o período é de oportunidades, principalmente para investidores estrangeiros. O governador também afirmou incentivar reformas estruturais por parte do Governo Federal para contornar as dificuldades.

Uma das principais discussões foi sobre mandar estudantes para o país para intercâmbios culturais através do programa Goiás sem Fronteiras, um dos que fazem parte do Inova Goiás. Para falar sobre a ideia, Marconi e comitiva se encontraram com representantes da New Zeland Education, uma espécie de agência de ligação entre o setor educacional e o lado comercial que ela representa para o país.

Marconi inclusive sugeriu que, para facilitar esse intercâmbio de alunos, um goiano faça parte do conselho de planejamento da Universidade Victoria, que tem um programa de integração chamado Victoria Institute for link with America Latina (VILLA). Segundo o embaixador brasileiro em Wellington, Eduardo Gradilone, a VILLA também tem grande interesse no desenvolvimento do programa Goiás sem Fronteiras.

Os jovens foram citados também pelo deputado e presidente do parlamento neozelandês, Hon David Carter, que recebeu a comitiva como especialista nas relações entre a Nova Zelândia e a América Latina. Para ele, a aproximação das culturas dos dois países através da convivência entre as novas gerações é uma boa possibilidade de aumentar o conhecimento mútuo.

 

Na área do turismo, a principal ideia é promover os pontos turísticos do Brasil e da Nova Zelândia, incentivando a ida de turistas de um para o outro. Segundo Marconi, o Estado Goiano está à disposição para realizar um trabalho unilateral junto à Agência Nacional de Turismo neozelandesa para que o destino se torne mais comum entre os brasileiros. Mesmo com a dificuldade de trânsito, já que são países distantes, a perspectiva é de superar essa questão com propaganda e contato direto com os potenciais turistas.

A comitiva também aproveitou a oportunidade para conhecer mais sobre a história e a cultura dos Maoris, povo nativo da Nova Zelândia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.