O presidente da Comissão de Ética do PMDB, Leon Deniz, disse ao Jornal Opção Online que o pedido de expulsão do peemedebista Frederico Jayme foi adiado por tempo indeterminado. Leon explicou que novos fatos têm chegado constantemente ao diretório estadual do partido. “Ele está concedendo muitas entrevistas. O pessoal está esperando o momento certo para reunir tudo e fazer um processo só”, disse o presidente.

[relacionadas artigos=”11303,10846,10223,10215,10695″]

Leon afirmou que o pedido de expulsão ainda não foi passado para a comissão, sendo que o diretório é o responsável em repassar a documentação. “Eles não estão dando prioridade porque é um caso sem expressão no partido”, afirmou. Já Frederico, em sua defesa, sustenta que, na verdade, “o que falta é coragem de iniciar o processo”. “Isso é conversa fiada. Eles sabem que eu tenho muita coisa na minha defesa oral e em documentos. Se eles quisessem enfrentar mesmo esse debate já teriam dado início ao processo”, disse Jayme, que ainda completou: “Eles já têm material o suficiente, para que mais?”

Isso porque o peemedebista vem concedendo diversas entrevistas em que não poupa críticas ao candidato ao governo Iris Rezende (PMDB). “Eu faço questão de debater de forma pública apresentando os motivos pelos quais me recuso a apoiar o senhor Iris Rezende”, disse o Jayme, lembrando que está no partido desde a época do MDB (partido criado durante a Ditadura Militar, que mais tarde deu origem ao PMDB). “Só porque não vou apoiar o Iris mereço ser expulso?”, questionou.

O presidente Leon Deniz sustentou que não há medo algum de “enfrentar” Jayme, tendo dito que “Frederico é um homem inofensivo e sem credibilidade”. “Nem vi entrevista dele, não conheço as provas. Não sei quais são os fundamentos, porque até então me dedico a outros interesses”, disse, explicando que tem se preocupado com outras questões, sem acompanhar as declarações de Jayme.

Frederico Jayme está à frente da campanha do governador e candidato à reeleição, Marconi Perillo (PSDB). O pedido de expulsão foi protocolado por Marcelo Lins, vice-presidente do PMDB em Águas Lindas, como foi informado pelo presidente da sigla em Itapaci e integrante da comissão, Dorival Mocó, no último dia 17. Além de Marcelo, outros iristas, como o  presidente da Juventude do PMDB em Goiás, Pablo Rezende (sobrinho de Iris), disse que também iria protocolar outra carta pedindo pela expulsão de Frederico. Os iristas também estavam descontentes com as atitudes de Robledo Rezende, que foi coordenador da pré-campanha de Júnior Friboi (PMDB) e declarou apoio ao governador Marconi Perillo.