Comércio varejista em Goiás cresce acima da média nacional em novembro de 2019, diz IBGE

Volume de vendas do comércio varejista ampliado em Goiás cresceu 2,6% quando comparado ao mesmo período de 2018

Foto: Pedro Dias/ Divulgação

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou um balanço sobre as vendas no varejo goiano ao longo do mês de novembro de 2019. Segundo as estatísticas apresentadas pelo Instituto, o saldo avançou em 1,3% ao longo deste período. Este é o quarto aumento consecutivo nessa base de comparação.

Já em nível nacional, o IBGE observou um avanço de 0,6% na mesma base de comparação, sendo o sétimo consecutivo. Quando comparados novembro de 2019 e novembro de 2018, observa-se avanço de 1,4% no volume de vendas do comércio varejista goiano, enquanto o volume de vendas do varejo nacional teve um aumento de 2,9%.

Já o comércio varejista ampliado — que inclui as atividades de veículos, partes e peças e de material de construção — registrou um recuo de 0,5% quando comparado aos dados do mês anterior. O recuo foi o mesmo em nível nacional.

Quando comparado a novembro de 2018, o volume de vendas do comércio varejista goiano ampliado apresentou um avanço de 2,6%, enquanto em nível nacional o aumento foi de 3,8% na mesma base de comparação.

O volume de vendas do varejo goiano acumula em 2019 um avanço de 0,6%, apresentando um leve crescimento quando comparado com 2018, enquanto o nacional acumula 1,7% , destaca o Instituto.

Oito das dez atividades cresceram em novembro

O aumento do volume de vendas com varejo ampliado goiano de 2,6% em novembro de 2019, frente a novembro de 2018, pode ser explicado, pois oito das dez atividades pesquisadas tiveram aumento nessa base de comparação.

Os setores que apresentaram as maiores variações positivas foram os de equipamentos e materiais para escritório informática e comunicação (24,0%), sendo o quinto aumento consecutivo e o maior aumento desde abril de 2015 (25,8%). Seguido pelo setor de móveis e eletrodomésticos (9,8%), que teve seu terceiro aumento consecutivo e foi puxado principalmente pelas vendas de móveis (37,4%), que obteve o sexto resultado positivo seguido e é a maior variação da série histórica, desde quando o setor começou a ser pesquisado (janeiro de 2012). Por fim o setor de material de construção (7,7%), que acumula 3 variações positivas seguidas, acumulando em 2019 uma variação de 3,4%.

Já com relação aos setores que tiveram recuo, os únicos que apresentaram foram: livros, jornais, revistas e papelaria (-7,3%), que observa recuo no setor desde dezembro de 2016 (0,5%) e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (-4,1%), sendo a oitava taxa negativa no ano, registrando um acumulado no ano de -3,0%

Vendas sobem em 22 das 27 unidades da Federação

Regionalmente, para o volume de vendas do comércio varejista, 22 das 27 unidades da Federação assinalaram avanço em novembro de 2019 quando comparadas com o mês anterior. Goiás teve um avanço de 1,3%, ficando acima da variação do Brasil (0,6%).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.