Comércio goiano avança 19,4% e indústria cresce 3,0% em maio, aponta IBGE

Goiás é o estado com 3º maior avanço no volume de vendas do comércio varejista e o único a registrar crescimento na indústria

Levantamento divulgado pelo IBGE nesta quarta-feira, 8, mostra que a produção industrial goiana em maio avançou 3,0% frente a abril de 2020 (série com ajuste sazonal), sendo a segunda alta consecutiva após a queda de 2,5% em março. A produção industrial nacional também avançou (7,0%) na mesma base de comparação.

No confronto com maio de 2019, Goiás foi a única unidade da Federação cuja indústria apresentou taxa positiva (1,5%), sendo que, em nível nacional, a produção diminuiu consideravelmente (-21,9%).

“Goiás no rumo certo. IBGE diz que indústria do Estado foi a única a crescer em maio – comparado ao mesmo mês de 2019: 1,5%. Em maio de 2020 (comparado a abril) crescemos 3%. Em 12 meses, 1,5% (2º colocado nacional). Seriedade e transparência dão segurança a quem investe em Goiás”, escreveu o governador sobre o resultado.

Produtos alimentícios

Na comparação com maio de 2019, a fabricação de produtos alimentícios cresceu 9,0%, maior alta de 2020 e maior taxa positiva desde maio de 2019 (16,4%). Os principais produtos que impactaram esse avanço foram açúcar VHP, açúcar cristal e óleo de soja refinado.

Outros avanços importantes ocorreram nas Indústrias extrativas (24,9%), devido ao crescimento na produção de fosfatos de cálcio naturais, fosfatos aluminocálcicos e cré fosfatado, e pedras britadas, sendo a terceira maior taxa positiva da série histórica, e em metalurgia (12,5%), devido ao avanço nos três produtos investigados, ferronióbio, ouro em formas brutas para usos não monetários, e ferroníquel.

Por outro lado, a fabricação de veículos automotores, reboques e carrocerias manteve queda elevada (-84,0%), a segunda maior queda da série histórica em Goiás, devido à queda da produção de automóveis com motor a gasolina, álcool ou bicombustível, veículos para o transporte de mercadorias com motor diesel, e automóveis com motor diesel.

A fabricação de outros produtos químicos também continuou apresentando queda (-7,9%), após avanços significativos em fevereiro (22,5%) e março (17,0%). Também apresentaram queda em maio a Fabricação de produtos de metal, exceto máquinas e equipamentos (-7,2%), Fabricação de produtos de minerais não-metálicos (-5,0%), Fabricação de coque, de produtos deriva dos do petróleo e de biocombustíveis (-3,9%), e Fabricação de produtos farmoquímicos e farmacêuticos (-2,8%).

Goiás é o estado com terceiro maior avanço no volume de vendas do comércio varejista

O levantamento também aponta que, em maio de 2020, o volume de vendas do comércio varejista goiano avançou 19,4% frente a abril de 2020, na série com ajuste sazonal. Esse é o melhor resultado desde o início da série histórica, em janeiro de 2000. Já em nível nacional, observa-se um avanço de 13,9% na mesma base de comparação, sendo também o melhor resultado da série histórica.

Contudo, quando comparados maio de 2020 e maio de 2019, observa-se recuo de 7,4% no volume de vendas do comércio varejista goiano, sendo a terceira queda consecutiva, mas é a menor queda nessa base de comparação desde o início da pandemia. Em mesmo sentido, o volume de vendas do varejo nacional teve uma diminuição de 7,2% na mesma base de comparação.

Esse fato mostra que o volume de vendas está crescente em relação ao mês passado, mas segue em queda em relação ao mesmo mês do ano anterior. A pandemia ainda afeta o comércio goiano e nacional, uma vez que o acumulado de 2020 ainda se encontra negativo, tanto em Goiás (-6,8%) quanto no Brasil (-3,9%).

Já o comércio varejista ampliado goiano (que inclui as atividades de veículos, motos, partes e peças e de material de construção) registrou um avanço de 23,2% em maio de 2020, quando comparado com abril de 2020, na série com ajustes sazonais, sendo assim o melhor resultado da série histórica. Em nível nacional, o volume de vendas do varejo ampliado avançou 19,6%, na mesma base de comparação, sendo também o melhor resultado da série histórica.

Regionalmente, para o volume de vendas do comércio varejista, todas unidades da Federação assinalaram avanço em maio de 2020 quando comparadas com o mês anterior, na série com ajuste sazonal. Goiás teve avanço de 19,4%, sendo o terceiro estado com maior variação nessa base de comparação, ficando atrás do Paraná e de Rondônia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.