Levantamento feito por entidades de classes ligadas ao comércio, lojistas e shoppings apontou que cinco mil lojas já comunicaram encerramento definitivo de suas atividades

Comércio fechado | Foto: Reprodução

Nesta quarta-feira, 17, a Associação Empresarial da Região da 44 (AER44), em parceria com várias outras entidades, vai promover mais uma manifestação pela reabertura do comércio de rua em Goiânia. O protesto vai ocorrer a partir das 9h, no Paço Municipal.

“A situação está ficando insustentável. Do jeito que está não dá mais para ficar. Os empreendedores da região se comprometeram, elaboraram um amplo protocolo para a retoma segura e responsável das atividades” está até abrindo mão da maior parte de seus clientes, mas ainda sim a prefeitura, em especial a atual secretária de saúde, se nega a perceber que enquanto não se autorizar a volta do comércio na 44 de forma ordenada, o que se terá é a invasão de camelôs, a falta de controle de caravanas, trazendo aglomerações e muito mais disseminação do vírus”, destacou o presidente da AER44, Jairo Gomes.

O presidente do Sindicado dos Empregados no Comércio Hoteleiro no Estado de Goiás (SECHSEG), Marlos Luz também desabafou sobre os efeitos da pandemia no comércio.

“É nosso último grito, não dá mais para ver colegas demitindo 20, 30, 40 funcionários, e toda hora alguém vir aqui pedir ajuda para poder comprar um prato de comida. As pessoas precisam trabalhar, já são três meses de portas fechadas, nosso limite acabou” declarou Marlos Luz.

Encerramento definitivo

Um levantamento feito na semana passada por entidades de classe ligadas ao comércio, lojistas e shoppings estimou que, das quase 25 mil lojas localizadas nos shoppings centers de Goiânia, incluindo os populares, cinco mil já comunicaram o encerramento definitivo de suas atividades. Caso a reabertura não seja autorizada de forma imediata, outras 2.500 lojas destes centros comerciais devem fechar ainda no final deste mês.

A manifestação de amanhã conta com o apoio de outras 11 entidades, entre elas o Sindicato das Academias de Goiás (Sindac-GO), Sindicato dos Empregados no Comércio Hoteleiro e Similares no Estado de Goiás (Sechseg), Sindicato das Empresas de Turismo no Estado de Goiás -sindetur/go e da A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel).