Com tragédia em Suzano, governo e prefeituras de Goiás ligam alerta para escolas

Prefeituras de Aparecida e Anápolis já têm atuado para garantir segurança de alunos

A tragédia ocorrida na escola estadual Raul Brasil, em Suzano, São Paulo, na manhã desta quarta-feira, 13, deixou ao menos oito vítimas fatais, além dos dois ex-alunos responsáveis pelo ataque armado, que cometeram suicídio após o ato. Crimes desse tipo geram cautela e preocupação não só ao Estado, mas também em cada cidade goiana.

Região metropolitana

Em Aparecida de Goiânia, conforme a secretaria de Educação e Cultura, há uma política de segurança rígida nas 59 Escolas Municipais e 32 Centros Municipais de Educação Infantil, com o intuito de garantir a segurança dos estudantes durante o período escolar. “Para isso os portões de entrada são fechados com cadeados durante o período da aula, sendo abertos apenas na entrada e saída dos alunos”, disseram.

Segundo a pasta, desta forma, para uma pessoa adentrar na unidade escolar, é necessário tocar campainha ou mesmo chamar alguém do administrativo. “Além disso, as unidades são dotadas de câmeras de videomonitoramento ligadas 24h à Central e a Ronda Escolar da Guarda Civil Municipal, que faz um serviço preventivo nas imediações de todas as unidades.”

Da mesma, forma, a prefeitura de Anápolis, por meio da Secretaria Municipal de Educação, informou já ter tomado medidas para a proteção das crianças. Em nota, foi afirmado que, desde 2017, a pasta tem realizado uma campanha intensa de combate ao bullying, cyberbullying e de promoção da paz nas unidades escolares municipais, por meio de materiais de conscientização e projetos pedagógicos.

“Em 2018 o tema institucional ‘Bullying: Brincadeira sem graça!’ foi discutido durante o ano de forma interdisciplinar tanto na Educação Infantil, de forma lúdica, quanto no Ensino Fundamental, onde foram realizadas rodas de conversas nas escolas com a mediação de psicólogos.” Os resultados do trabalho de inclusão e promoção da paz, segundo informações da secretaria, são nítidos e viraram destaque nacional, “quando uma turma inteira aprendeu a linguagem de sinais para se comunicar e incluir uma aluna com deficiência auditiva”.

Estado

O governador do Estado, Ronaldo Caiado (DEM), também se manifestou sobre o tema pelas redes sociais. “Toda minha solidariedade aos familiares das vítimas desse crime bárbaro em Suzano (SP). Temos que ter uma atenção redobrada na segurança das escolas.”

Em contato com a Secretaria de Estado da Educação, a mesma ficou de enviar uma nota sobre o assunto, mas ainda não o fez. A secretaria municipal de Educação e Esporte de Goiânia também foi procurada, mas não se pronunciou até o momento.

[Atualização] Em nota, a Secretaria de Estado da Educação de Goiás (Seduc) lamentou a tragédia ocorrida na Escola Estadual Raul Brasil, na cidade de Suzano, em São Paulo. “Em nome de toda a rede pública estadual de ensino, a Seduc se solidariza com os professores, servidores, alunos e familiares da escola reunindo, em Deus, as súplicas e a fé, para que as vítimas e suas famílias consigam suportar tanta tristeza.”

A pasta ainda pontuou que, a educação, “como um caminho para o bem das pessoas e o melhor dos legados para um mundo melhor, se dilacera diante das tragédias, do sofrimento. E, neste momento, se une em busca de luz para os que precisam se reerguer da dor. Todas as escolas do país também choram com a Raul Brasil.”

Mais repercussões

Via Twitter, o presidente Jair Bolsonaro lamentou o ocorrido. “Presto minhas condolências aos familiares das vítimas do desumano atendado ocorrido hoje na Escola Professor Raul Brasil, em Suzano, São Paulo. Uma monstruosidade e covardia sem tamanho. Que Deus conforte o coração de todos.” Da mesma forma, o vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB) se disse “profundamente entristecido com a ocorrência da  tragédia com vítimas inocentes na Escola Estadual Raul Brasil, em #Suzano. Deus conforte os corações de familiares, alunos e funcionários da Escola”.

O senador goiano, Vanderlan Cardoso (PP), afirmou: “Recebi com muita tristeza a notícia do covarde assassinato a crianças da escola estadual Professor Raul Brasil, em Suzano-SP. Me solidarizo com os familiares e todos os atingidos por essa tragédia. Esperamos explicações sobre o ocorrido. Vamos orar pelos feridos.”

Vítimas fatais

Jorge Antonio de Moraes, comerciante, morto antes da entrada dos assassinos na escola

Marilena Ferreira Vieira Umezo, coordenadora pedagógica

Eliana Regina de Oliveira Xavier, funcionária da escola

Pablo Henrique Rodrigues, aluno

Cleiton Antonio Ribeiro, aluno

Caio Oliveira, aluno

Samuel Melquíades Silva de Oliveira, aluno

João Vitor Ramos Lemos, aluno

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.