Com queda de preço na Petrobrás, presidente do Sindiposto acredita em redução nos postos de Goiás

De acordo com Márcio Martins, valor pode não ser tão “relevante” e deve girar em torno de R$0,05

Foto: Reprodução

Com o recuo das cotações do petróleo, a Petrobrás anunciou queda de 3% no preço do diesel e gasolina nas refinarias a partir desta sexta-feira, 31. Este é o terceiro corte desde o início do ano. No começo de janeiro, os valores haviam caído 3% em cada um destes produtos.

Na última semana, a gasolina baixou 1,5%, enquanto o diesel 4,1%. De acordo com o empresário e presidente do Sindiposto, Márcio Martins, alguns postos já começaram a apresentar declínio nos preços. “Podemos perceber que alguns postos começaram a reduzir os preços. Começaram a cobrar entre R$4,87, R$4,79, R$4,75 em Goiânia, que é mais ou menos a redução acumulada desses anúncios feitos pela Petrobrás. O consumidor vai perceber, apesar de não ser um valor tão relevante”, informou Martins.

“Na minha distribuidora, por exemplo, somando as três reduções, estou comprando R$0,05 mais barato do que eu comprava antes das reduções. A proporções, se forem passadas integralmente, vai reduzir R$0,05 no meu preço. O consumidor vai perceber. A gente torce para que continuem reduzindo para que a gente tenha um preço mais atrativo para o consumidor”, afirmou.

No entanto, ele justifica o fato de as quedas não serem tão percebidas pelos consumidores que abastecem seus veículos em postos. “Outros fatores que influenciam nos preços. Temos a questão do etanol anidro, que é misturado na gasolina. Também o biodiesel, que é misturado no diesel. A pauta do ICMS, a distribuidora que pode repassar ou não na mesma proporção, e os postos, que podem repassar ou não, tanto os aumentos quanto as reduções para o consumidor, da forma eles entenderem de acordo com suas contas, suas despesas etc”, pontuou o presidente.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.