Com pandemia, cirurgias de varizes no SUS caem 55% em Goiás

Ministério de Saúde registrou queda de 69% no volume de procedimentos realizados em cenário nacional

Ao longo de 2021, as cirurgias de varizes realizadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS) sofreram queda de 69%, em comparação com dois anos antes, quando ainda não havia pandemia de Covid-19. Em 2019, foram realizadas 68.743 cirurgias de varizes na rede pública, entre tratamentos cirúrgicos de varizes bilateral e unilateral, bem como a ressecção (extração) das veias. Em 2020, o total caiu em 59% (com 28.354 operações), enquanto em 2021 houveram 21.604 procedimentos, mantendo o volume inferior ao dos estabelecidos pré-pandemia.

Numa comparação com o resto do país, a região Centro-Oeste tem o melhor desempenho, com uma queda de 51% em relação aos números anteriores. Na região Norte, que lidera a queda, o desempenho foi de 72% menos cirurgias dentro do período de avaliação. Em Goiás, o SUS chegou a realizar 1.817 procedimentos em 2019, com uma queda brusca para apenas 723, no seguinte. Em 2021, houve um aumento singelo, para 818, um número de quase mil a menos do que no período anterior à pandemia, representando queda de 54,9%.

Os dados Ministério da Saúde foram analisados pela Sociedade Brasileira de Angiologia e de Cirurgia Vascular (SBACV), que destaca que a questão merece atenção por motivos além dos estéticos. “Sem o cuidado devido, as varizes implicam em perda de qualidade de vida, sobretudo para as mulheres, em quem são mais prevalentes, que podem sofrer com dores e desconforto, comprometendo sua rotina. Além disso, as varizes podem evoluir para situações graves e de difícil reversão, como as úlceras de estase, que são feridas crônicas de difícil cicatrização e que tem grande impacto econômico e na qualidade de vida do paciente”, ressaltou Julio Peclat, presidente da SBACV.

A assessoria do Ministério da Saúde chegou a informar que a pasta apoiou governos de estados e municípios a garantir o acesso da população aos serviços do SUS, mesmo com o cenário pandêmico. “Em 2020, foram realizados no Sistema Único de Saúde (SUS) mais de 31 mil cirurgias para varizes. Em 2021, números ainda preliminares, notificados por estados e municípios, mostram que foram realizadas cerca de 28 mil cirurgias com esta finalidade. Todos os procedimentos informados são custeados pela pasta”, ressaltou o Ministério.

Para especialistas da SBACV, a baixa procura está ligada ao receio de pacientes irem a clínicas e hospitais para questões que não envolvam o coronavírus ou situações consideradas de alto risco. Agora, passado o cenário mais crítico da pandemia, o diretor de publicações da SBACV, Mateus Borges, acredita que é preciso promover uma campanha de esclarecimento para conscientizar a população e recuperar o “apagão” estabelecido.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.