Com horário de verão em dia de prova, relógio errado pode mudar destino de estudantes

Com mudança, atrasados do Enem podem ganhar a companhia de quem não ficar atento. Jornal opção falou com candidatos e professor sobre o assunto

Imagem: reprodução

Hábito comum do brasileiro, o atraso se tornou um evento de tradição na internet quando ligado ao Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Os atrasados do Enem, como são chamados, que perdem a hora da prova e ficam sem realiza-la, apesar do sofrimento, se tornam piada nas redes sociais.

Agora, com a mudança do horário de verão no primeiro dia do exame, que acontece neste domingo (4/11), todos os estudantes vão precisar tomar cuidado redobrado para não virar meme, já que a

A secretária e estudante Lucimara Morais, de 26 anos, que já passou na prova duas vezes, mas não concluiu os cursos de administração e psicologia, para os quais foi aprovada, vai tentar novamente e já está atenta à mudança. “Eu nunca perdi horários, sempre fui muito pontual. Sei dos riscos com o horário de verão e, por isso, vou levantar bem mais cedo do que o normal”, afirmou ela, que busca cursar Relações Internacionais.

Já para o estudante Breno Junqueira, de 22 anos, que faz cursinho há cinco em busca do tão sonhado curso de medicina, o receio é a ansiedade. “Nunca tive problemas com horários, mas a data coincidir com o horário de verão implica em mais ansiedade para um público que já sofre de ansiedade generalizada e estresse”, disse. Por isso, escolas e centros preparatórios para Enenm estão ajudando candidatos a se prepararem melhor seu relógio biológico.

É o que explica Alexandre Pullig, diretor do Colégio PreparaEnem (Cope Ensino Médio). De acordo com ele, desde que houve a possibilidade de o Ministério da Educação não conseguir adiar o Horário de Verão (que já foi adiado por conta das eleições), os alunos do instituto têm sido alertados. “Uma das dicas que passamos é que o estudante se habitue a dormir bem, um pouco mais cedo do que de costume, para ir mudando seu relógio biológico”, explicou.

Para o diretor, é indispensável que, além de chegar no horário correto, os candidatos tenham dormido bem para realizar uma boa prova. “Outra orientação que passamos, além da questão do tempo por conta do horário de verão, é que o estudante use os 30 minutos antes da prova [entre 13h e 13h30], para se acalmar, respirar bem, se habituar ao local da prova e, assim, por em prática tudo que estudou”, completa  Alexandre.

Importante lembrar

No primeiro domingo (4) os candidatos farão as provas de Ciências Humanas (45 questões de geografia, história, filosofia e sociologia) e Linguagens e Códigos (45 questões de língua portuguesa, literatura e língua estrangeira, podendo ser inglês ou espanhol, a depender do que o candidato escolheu no momento da inscrição), além da redação (um texto de prosa dissertativo-argumentativo).

No segundo domingo (11) é a vez das provas de Ciências da Natureza (45 questões de biologia, química e física) e Matemática (45 questões).

A prova vai ser realizada em 1.725 municípios brasileiros e, ao todo, 5.513.726 estudantes estão inscritos. A estrutura para aplicação do Enem envolve 10.718 locais de aplicação, 155.254 salas e mais de meio milhão de colaboradores. Foram impressas 11,5 milhões de provas de doze Cadernos de Questões diferentes. Uma videoprova em Libras garante acessibilidade.

Nos locais, em Goiás, onde a prova do Enem será aplicadas, os portões abrem às 12h e fecham às 13h.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.