Com grandes filas para vacinação, Goiânia reabre drive-thru do Serra Dourada para atender grupos prioritários

Secretário de Saúde, Durval Pedroso, garante que o problema não é a quantidade de pontos de vacinação e sim a escassez do imunizante

Fila para vacinação na Escola Rotary, no Jardim América | Foto: Gabriela Macêdo / Jornal Opção

Goiânia conta com 16 pontos de vacinação nesta terça-feira, 20, sete a mais que ontem. No entanto, a ampliação não foi suficiente para reduzir as grandes filas de idosos em busca do imunizante. A capital, que já chegou a ter 25 pólos de imunização, decidiu reabrir o drive-thru do Serra Dourada e ampliar o horário de vacinação como estratégia para reduzir o tempo de espera na fila.

No entanto, o secretário de Saúde de Goiânia, Durval Pedroso, afirma que a principal causa das filas não é a quantidade de pontos de vacinação e sim a escassez do imunizante.

“Na verdade não havia vacina suficiente para que se tivesse a quantidade de pontos que chegamos a ter: 25 pólos de vacinação. A vacina era muito mais escassa. Existia uma programação da chegada das vacinas D2 e esperávamos que a população agendasse essa aplicação, que é garantida. Mas a ansiedade das pessoas conjuntamente com a chegada pequena de doses D1 acabou sobrecarregando. Nesse sentido já estruturamos a reabertura do drive do Serra Dourada, previsto para 12h / 13h desta terça-feira, e estenderemos o horário de vacinação até às 20h”, explica.

Durval ressaltou ainda a pequena quantidade de doses disponíveis para primeira aplicação e antecipou que não será possível completar a faixa etária de idosos com 62 anos. “É preciso deixar claro que temos menos de 4 mil doses de D1 disponível no momento e não conseguiremos completar o estrato de 62 anos, por isso causa toda essa ansiedade e estresse nas pessoas de correrem atrás da sua vacina. Precisávamos ter estrutura de quantidade de vacina para cada vez mais favorecer o agendamento, mas essa inconstância da chegada das vacinas, de elas chegarem de véspera, traz um impacto negativo na organização”.

O secretário também afirmou que não existe expectativa de quando nem de quantas doses a secretária receberá na próxima remessa. “Não se sabe confirmar ainda nem a chegada, nem quando, nem a quantidade. Espera-se, como tem acontecido, entre quinta e sexta, mas as doses ainda não foram anunciadas e isso tem criado um impacto negativo na forma de estruturar a vacinação para a população. Nós queremos que isso aconteça o mais rápido possível. No sábado vacinamos 17 mil pessoas em menos de 12 horas após a chegada da vacina, e assim estamos trabalhando. É importante que a população entenda que existe escassez de vacina, o problema não é a quantidade de locais. Poderia abrir vários locais que o problema seria o mesmo, abrir o ponto às 8h e 12h não ter mais vacina”, pontuou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.