Com foco no mercado externo, Goiás fecha março com superávit de US$ 255 milhões

Soja e derivados foram os produtos mais exportados, responsáveis por 50,93% das vendas. Resultado é o 2º melhor saldo obtido para o mês no histórico da balança

Principal produto exportado foi a soja, seguida pela carne / Foto: Imprensa/ GEPR

Principal produto exportado foi a soja, seguida pela carne / Foto: Imprensa/ GEPR

Divulgada na tarde desta quarta-feira (8/4), a balança comercial de Goiás do mês de março registrou números positivos do Estado do Centro-Oeste brasileiro. Conforme dados, as vendas goianas para o mercado externo atingiram no mês passado o total de US$ 600,053 milhões, e as importações registraram US$ 344,134 milhões — gerando um superávit de US$ 255,919 milhões.

A nível nacional, as exportações atingiram US$ 16,978 bilhões e as importações totalizaram US$ 16,520 bilhões, ocasionando saldo de US$ 458,184 milhões. No acumulado do primeiro trimestre, conforme dados da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Científico e Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação (SED), o país carrega um déficit de US$ 5,5 bilhões. Enquanto isso, no mesmo período, Goiás acumula superávit comercial de US$ 463,780 milhões.

Untitled-1O superintendente de Comércio Exterior da SED, Luiz Medeiros Pinto, garante que as estratégias do governo de Goiás, em conjunto com o setor empresarial, auxiliam a manter o sucesso da balança comercial goiana. “O trabalho que temos planejado para o setor de comércio exterior é reconhecido nacionalmente e internacional”, garante.

O governador em exercício, José Eliton (PP), que como vice exerce também o cargo de secretário da SED, em consonância com Luiz Medeiros, pontuou em um momento de adversidades no campo econômico, é importante que seja mantida a consistência dos negócios do Estado com o mercado internacional”.

José Eliton garante que  a busca por novos mercados e parceiros comerciais é o melhor caminho para se amenizar os efeitos de uma crise econômica. Conforme governador, um desaquecimento no mercado interno é gerado e o comércio exterior se torna uma sólida alternativa.

Sobre o mercado externo, a China continua sendo o principal comprador das mercadorias produzidas em Goiás. O país foi o destino de 43,56% das exportações goianas. Países Baixos (Holanda), Taiwan (Formosa), Espanha, Hong Kong, Irã, Rússia, Estados Unidos, Suíça e Itália completam a lista dos principais destinos dos produtos goianos.

Produtos 

A soja retomou a liderança de produtos de exportação goiana — posto que estava sendo ocupado pela carne por seis meses consecutivos. O grão e seus derivados foram responsáveis por 50,93% das vendas goianas para o mercado externo.

Atrás da soja, as carnes (bovina, de aves e suína) tiveram participação de 16,98% nas exportações goianas. O minério ferroligas foi o terceiro produto mais vendido, com 6,91% do total. Em seguida, couros e derivados (5,74%), açúcar (4,37%), ouro (3,81%), milho (2,85%), sulfeto de cobre (2,53%), amianto (1,57%).

Importações

Os produtos farmacêuticos foram líderes de importação no Estado, tendo representado 34,23% do que foi comprado. Destacaram-se também os automóveis (19,37%), produtos químicos orgânicos (9,15%); caldeiras, máquinas, aparelhos e instrumentos mecânicos (8,43%); adubos ou fertilizantes (6,08%), máquinas, aparelhos e materiais elétricos (5,83%), instrumentos e aparelhos de óptica e fotografia (2,33%), além de plásticos e suas obras; sal, enxofre, terras e pedras, gesso, cal e cimento; e bebidas, líquidos alcoólicos e vinagres.

Alemanha, Estados Unidos, Coreia do Sul, Japão, China, Tailândia, Suíça, Índia, Rússia e Canadá, respectivamente, foram os países integrantes da relação de principais fornecedores desses produtos para o mercado goiano.

O superintendente de Comércio Exterior da SED, Luiz Medeiros Pinto, fez questão de destacar a relevância das importações na economia goiana. “Esses produtos comprados no exterior representam investimentos para Goiás, pois eles vêm para adicionar valor às mercadorias manufaturadas em Goiás”.

Medeiros também esclarece que o Estado hoje se posiciona como um centro de distribuição de veículos automotores para as demais regiões, e possui também o segundo maior polo farmacêutico do país.

Uma resposta para “Com foco no mercado externo, Goiás fecha março com superávit de US$ 255 milhões”

  1. Avatar Antonio Alves disse:

    Com esse dinheiro, se o governo quisesse, poderia pagar pelo menos 10% do que deve em diferenças salariais e outras dívidas que tem com os professores da rede estadual de ensino.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.