“Com esse tipo de atitude, Bolsonaro acaba perdendo aliados importantes”, diz Major Araújo

“Os filhos dele são um problema, especialmente o vereador [Carlos Bolsonaro PSC-SP]. Eles têm causado conflitos e divisão. E numa nova sigla isso não será diferente”, avalia

Major Araújo

Na avaliação do deputado estadual Major Araújo, a crise pela qual o PSL passa nas últimas semanas não resvala na composição estadual da sigla. Para ele, mesmo que o presidente Jair Bolsonaro deixe o partido, não haverá grandes modificações na composição partidária por conta da identidade ideológica e do fundo partidário.

“Acho difícil ter uma debandada no PSL, porque o partido tem ideais bem definidos, e tem a maior identidade na direita no Brasil. O que vem ao encontro com a maior parte do que a sociedade deseja”, disse em entrevista ao Jornal Opção. “Temos condições de concorrer em qualquer município e vamos manter nossos planos de expansão pelo Brasil”, continua.

O projeto do partido no Estado é colocar candidatos viáveis nas grandes e médias cidades e o fundo partidário é central. Os recursos são essenciais para a propaganda político-partidária no rádio e na TV e para as reuniões que ocorrerão até o próximo pleito. Tanto que o evento de filiação ao PSL marcado para este sábado, 19, em Anápolis, continua sem modificações. A expectativa é que haja grande número de novas adesões.

Araújo diz que, mesmo com a crise envolvendo as alas do presidente nacional Luciano Bivar e do próprio Bolsonaro, não há qualquer indício de que o PSL deixa a base do governo. Se houver uma eventual saída do presidente do partido, acredita o parlamentar, a militância e os parlamentares continuam fieis ao bolsonarismo.

No entanto, ele ressalta que o temperamento de Bolsonaro e a liberdade dada aos filhos o acompanharão por onde forem. “Com esse tipo de atitude, Bolsonaro acaba perdendo aliados importantes. Os filhos dele são um problema, especialmente o vereador [Carlos Bolsonaro PSC-SP]. Eles têm causado conflitos e divisão. E numa nova sigla isso não será diferente”, avalia.

O parlamentar salienta que por isso mesmo o PSL goiano continua com projeto estabelecido, com as mesmas ideias e ideologia. “O presidente tem a liberdade de fazer o que quiser. E, nós, do lado de cá, continuamos com nosso projeto, que é chegar ao maior número de prefeituras possíveis em Goiás”, garante.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.