Com escritório cheio, Iris continua movimentando sua pré-candidatura

Ex-prefeito se reuniu com farmacêuticos e representantes propagandistas de produtos farmacêuticos que queriam debater um projeto da vereadora Cida Garcês, que também estava no local

Izídio Alves (PMDB), Clécio Alves (PMEB), Cida Garcês (Solidariedade), Iris Rezende (PMDB),  secretário de habitação de Goiânia, Denício Trindade (PMDB),

Izídio Alves (PMDB), Clécio Alves (PMDB), Cida Garcês (Solidariedade), Iris Rezende (PMDB), secretário de habitação de Goiânia, Denício Trindade (PMDB), presidente do Sindvendas, Paulo Guadalupe e presidente executivo do Sindifargo, Marçal Henrique / Foto: Leandro Vieira

O estacionamento e a calçada do escritório político do pré-candidato ao governo do Estado Iris Rezende estava lotado na manhã desta sexta-feira (25/4). Com cerca de 50 pessoas no local, o peemedebista recebeu o Sindicato dos Empregados, Vendedores, Viajantes e Propagandistas de Produtos Farmacêuticos do Estado de Goiás (Sindvendas) e o Sindicato das Indústrias Farmacêuticas no Estado de Goiás (Sindifargo), além dos vereadores peemedebistas Izídio Alves e Clécio Alves e a vereadora Cida Garcês (Solidariedade). O Sindvendas, que pediu que esta reunião fosse feita no escritório do peemedebista provavelmente devido a sua influência na Câmara, pediu pelo arquivamento de um projeto relacionado à regulamentação de visitação a escritórios médicos, da vereadora Cida Garcês.

Em uma situação atípica, o ex-prefeito falou pouco, pediu licença e disse que tinha outra reunião que não poderia faltar. O pré-candidato discursou sobre a importância dos farmacêuticos e como a profissão evoluiu ao longo dos tempos. Iris saiu rapidamente da recepção entrou em uma camionete preta e foi embora sem dar tempo para perguntas. Mais tarde, por volta das 15h, o pré-candidato irá para a cidade de Orizona.

Em conversa com o Jornal Opção Online, o vereador Izídio Alves não quis emitir opinião sobre apoio a Iris ou Friboi, tendo dito somente que apoia os dois juntos em uma chapa. De acordo com ele, esta questão referente a quem será o candidato ao governo e quem será o vice deve ser decidido entre eles. “Vão se reunir segunda-feira para discutir isso novamente.” O parlamentar, durante a entrevista, disse uma frase e a deixou no ar: “ Mas eu sempre digo que quem tem história conta, e quem não tem escuta.”

O presidente da Câmara Municipal, Clécio Alves (PMDB), não quis falar durante a reunião, mesmo com insistência dos presentes. Antes do início do encontro, o vereador concedeu entrevista ao Jornal Opção Online, afirmando que continua apoiando Iris, que não fica mudando de ideia. “Eu gosto do Júnior, mas o povo fica falando que a população quer o novo. O que é o novo?”, questionou.

Perguntado se via o apoio de peemedebistas a Júnior Friboi como uma afronta a Iris Rezende, que é considerado um líder no PMDB, Clécio disse que esse não é o caso. “Eu simplesmente vejo uma eleição sem o Iris como tirar o cérebro e coração do partido. É isso que o Iris é.” O parlamentar afirmou que o ex-prefeito impulsionou o partido quando ele estava abandonado. “Não tinha nem vereador do PMDB na Câmara”, disse, completando no final: “Quero os dois juntos, mas se for para decidir por um, decido pelo Iris.”

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.