Com dívida milionária, prefeito tenta evitar paralisação da coleta de lixo em Anápolis

Roberto Naves negocia com empresa débito de quase R$ 24 milhões deixado por gestão anterior. Ex-prefeito diz que montante não é nenhuma surpresa

Roberto Naves durante entrevista coletiva | Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O prefeito de Anápolis, Roberto Naves (PTB), tenta evitar que o serviço de coleta de lixo da cidade acabe paralisado devido a uma conta milionária deixada pela gestão anterior. Documento obtido pelo Jornal Opção mostra que, apenas na área de limpeza urbana, a administração do ex-prefeito João Gomes (PT) deixou um déficit de mais de R$ 23 milhões a ser quitado pela Prefeitura de Anápolis com a empresa Consórcio GC Ambiental, responsável pelo serviço na cidade.

Em entrevista recente, Roberto contou que foi pego de surpresa, mas conta que já se reuniu com representantes da empresa e tenta a negociação da dívida. Ressalta, entretanto, ser impossível quitar o débito no momento. “Estamos trabalhando com uma prefeitura que tem déficit mensal de R$ 7 milhões e temos que focar em pagar a folha em dia, isso eu não abro mão”, esclareceu.

Sobre a possibilidade de paralisação do serviço de coleta de lixo, Roberto afirma não depender dele e sim da empresa, mas ressalta que, caso aconteça de fato, irá buscar outros meios para que a coleta continue. “Vamos conversar e mostrar que a paralisação não vai resolver o problema e que, a partir de agora, eles vão voltar a receber em dia”, pontuou.

Em despacho assinado pelo responsável da empresa, André Eugene Laperche, é informado que, desde o início da prestação dos serviços, a prefeitura anapolina tem atrasado pagamentos e “provocado inúmeros transtornos ao Consórcio por não conseguir cumprir com as obrigações” previstas em contrato.

O documento é direcionado ao prefeito Roberto Naves e ao novo secretário municipal de Meio Ambiente, Daniel Silva Fortes. O representante da empresa destaca, ainda, que os débitos têm maior impacto na folha de pagamento dos funcionários, que teriam recebido o 13º e o último salário de 2016 atrasados.

Ele informa também que os recursos financeiros atuais da empresa não permitem o pagamento da folha para esse mês, que vence já nesta sexta-feira (6/1). Por fim, a empresa solicita ao novo prefeito a regularização dos pagamentos atrasados para dar cargo ao serviço que abrange despesas relativas a materiais, locação e manutenção de veículos, máquinas e equipamentos.

Em entrevista ao Jornal Opção, o ex-prefeito João Gomes (PT) disse que o valor citado pela empresa não é nenhuma surpresa, mas informa que não deixou de cumprir com as medições mensais. “Com exceção de outubro e novembro que não foi quitado, mas ficou com recursos em conta”, ressalvou.

À reportagem, o petista disse que os valores citados dizem respeito principalmente a reajustes salariais e garantiu ter pago à empresa o total de 35 parcelas mensais. “Isso deve ser referente a alguns reajustes. Se você pegar nossa contabilidade, desde que assumi, em 2014, nós pagamos 35 parcelas, mais que o período em que fiquei na prefeitura. Nunca ficaram um mês sem receber, salvo outubro e novembro”, argumentou.

Uma resposta para “Com dívida milionária, prefeito tenta evitar paralisação da coleta de lixo em Anápolis”

  1. Denis Robson disse:

    Essa herança maldita, foi deixada pelo canalha do Gomide!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.