Com disputa por espaço na chapa, líder do governo garante que base não terá perdas

Francisco de Oliveira afirma que seria mau-caratismo se alguém abandonasse o governo para caminhar com a oposição em busca de espaço

Francisco de Oliveira | Foto: Ruber Couto

A formatação da chapa majoritária da base governista enfrenta séria dificuldade: muitos nomes para poucas vagas. Diante do impasse, o clima tem esquentado e os partidos, cada vez mais, pressionam para ter espaço garantido. O receio é de que a disputa pssa acabar provocando racha na base.

A principal questão está na escolha dos nomes para disputar o senado. Com uma vaga garantida para o ex-governador Marconi Perillo, a outra vaga poderá ser ocupada tanto pela Lúcia Vânia quanto pelo procurador Demóstenes Torres.

Para o líder do governo, deputado Francisco Oliveira (PSDB), no momento oportuno alguém terá que recuar. “A base aliada é uma família. Na hora certa alguém vai ter que recuar, redimir e dentro desse contexto ocupar outros espaços e não parecer oportunismo”.

O parlamentar classifica como “mau-caratismo” se algum dos membros da base que não for escolhido para compor a disputa abandonar o projeto de governo e caminhar com a oposição.

“Se acontecer isso vai ser muito oportunismo daqueles que estão brigando por espaço na nossa base. Seria um mau caratismo. Isso não vai acontecer. O que nós vamos é sentar à mesa, discutir com muita tranquilidade e vamos achar um momento de acertar com cada um espaços ou na chapa ou espaços no governo”.

Francisco Oliveira ressalta que mesmo sem lugar para todos os nomes na disputa eleitoral, todo mundo será acolhido pelo governo. “Obviamente, outros espaços poderão ser ocupados como secretarias importantes ou outros mandatos de deputado federal”, finaliza.

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.