Com desempate no fim do segundo tempo, Inglaterra vence Tunísia

Dois gols do Harry Kane fizeram a diferença no jogo 

Inglaterra comemora | Foto: Dan Mullan/Getty Images

A Inglaterra venceu a Tunísia com um gol salvador de Harry Kane no final do jogo. Na última partida desta segunda-feira (18/6), a seleção inglesa, cheia de jogadores jovens, perdeu várias oportunidades de gol no primeiro tempo. E, após todo um segundo tempo sem nenhuma criatividade no ataque, achou seu gol em uma cobrança de escanteio. Além de Kane, Dele Alli e Sterling eram outros jogadores de quem se esperava um bom desempenho, mas ambos tiveram atuação discreta.

Já a Tunísia foi valente na defesa. Neutralizou a maioria dos ataques do adversário, sobretudo no segundo tempo. Evitava dar chutões para frente e tentava sair jogando desde a sua área, mesmo pressionada pelo adversário. O ataque, porém foi completamente nulo. Fez seu gol de pênalti, em uma jogada isolada. Os contra-ataques não evoluíam nos pés de Khazri e F. Ben Youssef, que encontraram muita dificuldade para escapar da marcação.

O jogo

Aos dois minutos, Delle Ali recebeu um lançamento longo de Henderson e bateu cruzado. A defesa não conseguiu afastar e Lindgard chutou para o gol aberto, mas o goleiro Hassen impediu o gol com a ponta do pé de forma milagrosa. Um minuto depois, a Inglaterra chegou novamente com velocidade, mas o bandeirinha marcou impedimento. A Inglaterra fazia o possível para abrir o placar no começo do jogo.

E aos 10 minutos, eles conseguiram. Na cobrança de escanteio, Stones cabeceou e Hassen fez ótima defesa, mas o artilheiro Harry Kane pegou a sobra de marcou o gol. Pouco depois, Hassen teve que ser substituído por causa de uma lesão no ombro. O goleiro titular deixou o campo chorando e, aparentemente, não pela dor. Sua expressão não escondia a frustração por não poder seguir em campo na estreia do time na Copa do Mundo.

Aos 26, a Tunísia finalmente apareceu no ataque inglês. Maguire errou na saída e perdeu a bola, armando o ataque adversário. Após uma sequência e roubadas e perdas de bola na frente da área inglesa, Sassi recuperou a posse e arriscou para o gol. A bola passou pelo lado direito do goleiro Pickford.

Aos 32 minutos, veio o gol do time africano. F. Ben Youssef foi atingido no rosto pelo zagueiro Walker e o árbitro marcou o pênalti. Nesse momento, o gesto de Youssef foi curioso. Ele cai com a mão no rosto se contorcendo de dor e, no segundo seguinte, ao perceber que o pênalti tinha sido marcado, se levanta com um largo sorriso de satisfação. Sassi foi para a cobrança e empatou o jogo. A torcida africana foi à loucura.

Aos 38 minutos, a Inglaterra só não desempatou porque o zagueiro Stones conseguiu uma improvável furada na frente do gol. Os ingleses continuaram pressionando e Lingard quase marcou frente a frente com Mustapha, o goleiro que substituiu Hassen. A bola, porém, tocou caprichosamente a trave antes de sair pela linha de fundo.

Segundo tempo

A segunda etapa não manteve o nível de intensidade. A Inglaterra continuou tentando seu segundo gol, mas criava menos oportunidades de gol. A defesa tunisiana conseguia evitar a entrada do adversário com perigo na área. Faltava criatividade aos favoritos.

Mas a Inglaterra acabou recompensada, se não pela qualidade técnica, pela insistência. Aos 46 minutos, após escanteio cobrado, Harry Kane escorou de cabeça para o fundo o gol. Alívio de um lado e um banho de água fria dos tunisianos, que se defenderam com eficiência durante quase todo o jogo. Faltou aos africanos, no entanto, ousarem mais no ataque.

Com a vitória, a Inglaterra fica em segundo no grupo, com 3 pontos, mas com saldo de gols inferior à Bélgica, que venceu o Panamá no jogo também ocorrido hoje. A Tunísia fica em terceiro no grupo. Na próxima rodada, a Tunísia enfrenta a Bélgica no sábado (23) e a Inglaterra joga contra o Panamá no domingo (24).

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.