Com crise, obra do novo Hospital das Clínicas não tem prazo para ser retomada

Recurso é proveniente de emenda da bancada goiana no Congresso, mas governo federal não tem data para pagamento

Obras estão paralisadas desde o início do mês

Rafaela Bernardes

Paralisadas desde o início do mês, as obras do novo Hospital das Clínicas (HC), da Universidade Federal de Goiás, em Goiânia , não têm prazo para serem retomadas. Isso porque o financiamento da construção — fruto de uma emenda impositiva da bancada goiana no Congresso Nacional —  não foi liberado pelo governo federal. Nem sequer há previsão do pagamento.

Empenhado pelos 17 deputados federais e três senadores pelo estado de Goiás, o recurso de R$100 milhões foi aprovado em 2015 e deveria ter sido pago no ano passado.

Ao Jornal Opção, o assessor do deputado federal Jovair Arantes (PTB), Hudson Silva, explicou que a crise instalada no país desde 2015 é a causa do atraso no repasse do dinheiro.

“Por se tratar de uma emenda impositiva o governo federal é obrigado a pagar, mas não existe um prazo para esse pagamento. Esse dinheiro deveria ter sido repassado no orçamento de 2016, mas devido à crise política e financeira vivida pelo país esse repasse está atrasado e sem previsão de liberação”, explicou.

Segundo o deputado Jovair Arantes, o papel dos parlamentares foi feito quando empenharam o recurso para a construção do novo Hospital das Clínicas em Goiânia.

“Empenhamos o recurso, agora é uma questão de liberação da verba. O Ministério da Saúde e da Educação também já interviram pedindo a liberação da emenda para o hospital. A expectativa é que até o final de 2018 o hospital esteja concluído”, argumentou à reportagem.

Bancada goiana no Congresso | Foto: reprodução/ UFG

Paralisação

No início do mês o Jornal Opção noticiou a paralisação da construção do novo HC, Na época, o coordenador de obras da Engemil, empresa responsável pela construção do prédio, Vinícius Castro, explicou que a falta de pagamento foi o motivo da suspensão do serviço.

“Assumimos a quarta etapa da obra no dia 29 de novembro do ano passado e desde então trabalhamos sem receber um centavo. Hoje, a dívida acumulada já é de R$3,5 milhões. A situação ficou insustentável e tivemos que paralisar a obra e demitir os 200 funcionários que trabalhavam no local”, explicou.

A nova unidade do HC está sendo construída na mesma quadra da atual sede, no Setor Universitário, e será o maior hospital de uma universidade federal brasileira, com 20 andares e 600 leitos, dobrando a capacidade atual.

O novo Hospital das Clínicas terá, ainda, um andar destinado somente à maternidade, com capacidade de atendimento a gestantes de alto risco, equipado com UTI neonatal e centro obstétrico. Outro andar será exclusivo para a internação de pacientes transplantados, e outros dez pavimentos vão abrigar centros cirúrgicos, UTI e estruturas de apoio ao funcionamento da unidade.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.